Allez Santé BrancoAllez Santé Branco

“Allez Santé Branco 2011” tem a sua primeira edição em 2012 e um desenho novo no rótulo, concebido por Dominique Goblet, que vive na Bélgica, e Kai Pfeffer, de Berlim. O vinho é complexo e equilibrado, e o rótulo ilustra a chuva, o vento, e, claro, o Manneken Pis.

Vinificação

O ano de 2011 caracterizou-se por uma floração muito precoce e todo o ciclo vegetativo foi antecipado com a vindima a iniciar-se mais cedo do que nunca. No entanto, as vinhas plantadas a maior altitude foram mais lentas do que as restantes e, quando a vindima terminou, todos os vinhos apresentavam uma boa quantidade de ácido málico, factor muito importante para dar um palato fresco aos vinhos brancos, que não efectuam a fermentação maloláctica. A vindima teve início no final de Agosto. Após uma rápida prensagem, sem contacto com as películas, o mosto repousou durante 24 horas. A fermentação decorreu em cubas de aço inox (75%) e em barricas de carvalho francês (25%). O vinho estagiou nestes dois tipos de contentores, durante 7 meses, sobre as borras finas, sem bâtonnage e sem fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Cor citrina, com carácter mineral intenso e forte presença de aromas cítricos, com notas florais e de pêssego. No palato, revela um grande equilíbrio e complexidade, com aromas de frutos de caroço e uma acidez refrescante. Final muito longo e salgado.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Vinhas

Várias

Idade das Cepas

20 - 50 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

550-700

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Cubas de aço inox (75%) e barricas de carvalho francês (25%)

Engarrafado

Abril 2012

Estágio

Cubas de aço inox e barricas de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

19

Açúcar Residual (g/dm3)

3

Álcool (%)

13.5

pH

3.31

Acidez Total (g/dm3)

4.8

Acidez Volátil (g/dm3)

0.4

Produção

92.820 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados e assados, pasta com frutos do mar, carnes brancas.

“Allez Santé Branco 2011” tem a sua primeira edição em 2012 e um desenho novo no rótulo, concebido por Dominique Goblet, que vive na Bélgica, e Kai Pfeffer, de Berlim. O vinho é complexo e equilibrado, e o rótulo ilustra a chuva, o vento, e, claro, o Manneken Pis.

Vinificação

O ano de 2012 ficou marcado pela falta de chuva na região do Douro. Como consequência, o ciclo vegetativo da vinha começou, em média, 15 dias mais tarde do que nos anos anteriores. Por outro lado, o Inverno de 2012 registou temperaturas muito baixas, o que permitiu um crescimento adequado e equilibrado da vegetação. O período de maturação foi menos quente que o habitual, tendo dado origem a um bom equilibrio na acidez total dos mostos.

As uvas foram colhidas no princípio de Setembro e, depois de uma selecção rigorosa na mesa de escolha, foram prensadas lentamente. Sem maceração pelicular, o mosto ficou em repouso durante 24 horas, seguido de uma fermentação lenta durante 9 meses, sem batônnage.

Notas de Prova

O branco 2012 apresenta uma cor citrina viva e cristalina. O nariz é mineral, com um carácter pronunciado a aromas de fruta branca muito fresca.

Na boca, inicia-se fresco, equilibrado e com complexidade. Os aromas são de pura fruta branca, conjugada com notas de fumado que sublinha a autenticidade deste vinho. Final longo, acabando com um salgado característico do terroir.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Vinhas

Várias

Idade das Cepas

20 - 50 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

550-700

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Cubas de aço inox (75%) e barricas de carvalho francês (25%)

Engarrafado

Maio 2013

Estágio

Cubas de aço inox e barricas de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

19

Açúcar Residual (g/dm3)

3.1

Álcool (%)

13

pH

3.38

Acidez Total (g/dm3)

4.7

Acidez Volátil (g/dm3)

0.5

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

20

SO2 Total (mg/dm3)

62

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9882

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados e assados, pasta com frutos do mar, carnes brancas.

“Allez Santé Branco 2011” tem a sua primeira edição em 2012 e um desenho novo no rótulo, concebido por Dominique Goblet, que vive na Bélgica, e Kai Pfeffer, de Berlim. O vinho é complexo e equilibrado, e o rótulo ilustra a chuva, o vento, e, claro, o Manneken Pis.

Vinificação

A vindima de 2013 começou no dia 19 de Agosto, mais cedo do que o habitual, de forma a manter os níveis altos de acidez e evitar graus alcoólicos elevados. O ano foi mais produtivo, cerca de 25% relativamente ao ano anterior. A decisão de começar a vindima mais cedo acabou por se revelar acertada, uma vez que as principais vinhas tinham sido já vindimadas antes de começar a chover intensamente a 27 de Setembro.

Provenientes de vinhas plantadas na margem direita do rio Douro, as uvas foram transportadas durante a noite num camião refrigerado e, após uma selecção criteriosa à entrada da adega, foram prensadas suavemente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e extracção de borras grossas.

Após decantação durante aproximadamente 24 horas, 10% do mosto fermentou em barricas de carvalho francês e o restante em cubas de inox durante 8 meses, com leveduras indígenas. Foi engarrafado no dia 19 de Maio de 2014.

Notas de Prova

A colheita de 2013 é delicadamente fina e elegante. O aroma é marcadamente mineral, com notas de fruta fresca e flores primaveris. Na boca, apresenta-se complexo mas fresco, leve mas com boa concentração e uma acidez muito equilibrada. Final longo, com notas de citrinos, fresco e refrescante. Perfeito para as mais diversas ocasiões.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Vinhas

Várias

Idade das Cepas

20 - 50 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

550-700

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Cubas de aço inox (75%) e barricas de carvalho francês (25%)

Engarrafado

Maio 2014

Estágio

Cubas de aço inox e barricas de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

16.7

Açúcar Residual (g/dm3)

1.4

Álcool (%)

12.5

pH

3.39

Acidez Total (g/dm3)

4.2

Acidez Volátil (g/dm3)

0.4

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

11

SO2 Total (mg/dm3)

47

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9883

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados e assados, pasta com frutos do mar, carnes brancas.

“Allez Santé Branco 2011” tem a sua primeira edição em 2012 e um desenho novo no rótulo, concebido por Dominique Goblet, que vive na Bélgica, e Kai Pfeffer, de Berlim. O vinho é complexo e equilibrado, e o rótulo ilustra a chuva, o vento, e, claro, o Manneken Pis.

Vinificação

O ano vitícola de 2014 na Quinta de Nápoles caracterizou-se como um ano de menor quantidade mas de maior qualidade. Tudo indicava um ano precoce, devido à grande quantidade de água acumulada durante o Inverno e Primavera. A fase de maturação ocorreu precocemente e permitiu um começo de vindima em Agosto. Na Quinta de Nápoles vindimou-se a maioria das parcelas durante um período de bom tempo que se deu entre o dia 23 de Agosto e o dia 21 de Setembro.

Provenientes de vinhas situadas em altitude na margem direita do rio Douro, as uvas foram transportadas durante a noite num camião refrigerado. Depois de uma selecção criteriosa à entrada da adega, as uvas foram prensadas delicadamente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e extracção de borras grossas.

Depois de uma decantação natural de aproximadamente 24 horas, 10% do mosto fermentou em barricas de carvalho francês e o restante mosto fermentou em cubas de inox durante 8 meses, com as suas leveduras indígenas. Foi engarrafado em Maio de 2015.

Notas de Prova

A colheita de 2014 mostra o carácter fresco e equilibrado do ano vitícola. Aroma fresco, delicado e marcadamente mineral. Boas notas de fruta fresca, citrinos e alguma fruta exótica. Na boca, envolvente e muito elegante, com uma boa acidez, mostra-se fresco e refrescante. O final de boca deixa boas notas cítricas e minerais. Um branco muito equilibrado, com presença mas sem pesar. Perfeito para as mais diversas ocasiões.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Vinhas

Várias

Idade das Cepas

20 - 50 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

550-700

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Cubas de aço inox (75%) e barricas de carvalho francês (25%)

Engarrafado

Maio 2015

Estágio

Cubas de aço inox e barricas de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

17.2

Açúcar Residual (g/dm3)

1.1

Álcool (%)

12.5

pH

3.3

Acidez Total (g/dm3)

4.8

Acidez Volátil (g/dm3)

0.4

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

23

SO2 Total (mg/dm3)

87

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9885

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados e assados, pasta com frutos do mar, carnes brancas.

“Allez Santé Branco 2011” tem a sua primeira edição em 2012 e um desenho novo no rótulo, concebido por Dominique Goblet, que vive na Bélgica, e Kai Pfeffer, de Berlim. O vinho é complexo e equilibrado, e o rótulo ilustra a chuva, o vento, e, claro, o Manneken Pis.

Vinificação

As condições climáticas do ano vitícola 2015 foram muito favoráveis, com sol, calor e pouca humidade, permitindo um crescimento vegetativo homogéneo. Uma das particularidades deste ano vitícola foi a capacidade da vinha em manter-se hidratada durante a maturação. Em finais de Agosto, início de Setembro, as folhas basais mantinham-se verdes e húmidas, com os bagos hidratados e uma película grossa e firme. O equilíbrio dos mostos, a suavidade dos taninos e a intensa concentração de cor indicam que estamos perante um ano excepcional.

As uvas foram transportadas durante a noite num camião refrigerado e depois de uma selecção criteriosa à entrada da adega, foram prensadas suavemente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e extracção de borras grossas.

Após ter decorrido a decantação natural durante aproximadamente 24 horas, 15% do mosto fermentou em barricas de carvalho francês e o restante em cubas de inox durante 8 meses. Foi engarrafado em Maio de 2016.

Notas de Prova

Embora jovem e contido no aroma, o equilíbrio e harmonia da vindima 2015 são notáveis. Com aroma fresco, delicado e marcadamente mineral, sobressaem notas de citrinos e ervas frescas. Na boca, é envolvente e muito elegante, com uma boa acidez. O final de boca é fresco com boas notas cítricas e minerais. Um branco que apresenta juventude e vivacidade, muito fácil de beber. Perfeito para as mais diversas ocasiões.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Vinhas

Várias

Idade das Cepas

40-70 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Donzelinho, Viosinho e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

550-700

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Cubas de aço inox (75%) e barricas de carvalho francês (25%)

Engarrafado

Maio 2016

Estágio

Cubas de aço inox e barricas de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

17.7

Açúcar Residual (g/dm3)

0.8

Álcool (%)

12.5

pH

3.27

Acidez Total (g/dm3)

5.1

Acidez Volátil (g/dm3)

0.3

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

32

SO2 Total (mg/dm3)

89

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9888

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados e assados, pasta com frutos do mar, carnes brancas.

“Allez Santé Branco 2011” tem a sua primeira edição em 2012 e um desenho novo no rótulo, concebido por Dominique Goblet, que vive na Bélgica, e Kai Pfeffer, de Berlim. O vinho é complexo e equilibrado, e o rótulo ilustra a chuva, o vento, e, claro, o Manneken Pis.

Vinificação

O ano vitícola de 2016 caracterizou-se atípico, o Inverno foi quente e chuvoso, a Primavera fria e com muito chuva e o Verão extremamente quente e seco. As condições do estado do tempo contribuíram para um abrolhamento precoce (cerca de duas semanas) verificando-se, no entanto, ao longo da Primavera, um atraso significativo do ciclo vegetativo, em especial do “Pintor”, que ocorreu com cerca de duas semanas de atraso.

Provenientes de vinhas plantadas na margem direita do rio Douro, a uma altitude de 550 a 700 m, as uvas foram transportadas durante a noite num camião refrigerado. Depois da selecção à entrada da adega, foram prensadas delicadamente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e extracção de borras grossas.

Após uma decantação natural de aproximadamente 24 horas, 30% do mosto fermentou em barricas de carvalho francês usadas e o restante em cubas de inox durante 8 meses, com as leveduras indígenas. Foi engarrafado em Maio de 2017.

Notas de Prova

Ainda muito jovem, o vinho mostra já um bom equilíbrio e harmonia. Com aroma fresco, delicado e mineral, sobressaem notas de citrinos e ervas frescas. Na boca é envolvente e com boa acidez. É um branco com estrutura q.b. mas sem pesar. O final de boca é elegante com boas notas cítricas e minerais. Um branco que apresenta juventude e vivacidade, muito fácil de beber. Perfeito para as mais diversas ocasiões.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Vinhas

Várias

Idade das Cepas

20 - 50 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

550-700

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Cubas de aço inox (75%) e barricas de carvalho francês (25%)

Engarrafado

Maio 2017

Estágio

Cubas de aço inox e barricas de carvalho francês

Açúcar Residual (g/dm3)

1.4

Álcool (%)

12.3

pH

3.3

Acidez Total (g/dm3)

5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.5

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

43

SO2 Total (mg/dm3)

97

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados e assados, pasta com frutos do mar, carnes brancas.

Para exprimir o carácter do Douro neste branco, subimos em altitude à procura de vinhas com castas indígenas, plantadas em solos de micaxisto e que apresentassem o verdadeiro carácter rochoso deste vale. Através da fermentação, em cubas de inox, procurámos a complexidade e a leveza.

A ilustração de Luís Afonso conta histórias nos rótulos do Diálogo desde a primeira edição.

Vinificação

O ano de 2018 foi um ano fresco até Agosto, com o Julho mais fresco da história do sec. XXI. A maturação da videira apresentava um atraso de cerca de 3 semanas face ao ano de 2017. Nos primeiros dias de Agosto verificou-se uma forte subida de temperatura: 4 de Agosto foi o dia mais quente do século XXI (até à data), tendo a maturação das uvas prosseguido lentamente durante o mês de Setembro. Devido ao stress hídrico imposto, as plantas originaram mostos com pouca graduação alcoólica e boa maturação fenólica.

As uvas são provenientes de vinhas situadas entre os 350 e os 500m de altitude, com idades compreendidas entre os 15 e os 55 anos. Após transporte refrigerado até à Quinta de Nápoles, as uvas são integralmente selecionadas em mesa de escolha, seguindo-se uma prensagem de cacho inteiro em prensa pneumática. Após decantação estática a frio, foram passados a limpo para cuba de inox, tendo fermentado espontaneamente a uma temperatura controlada. Estagiou nas suas borras finas por 6 meses, sem levantamento das mesmas.

Notas de Prova

Embora jovem e austero no aroma, o equilíbrio e harmonia da vindima de 2018 é notável. Aroma fresco, que lembra ervas frescas e citrinos, de perfil mineral. Na boca, vibrante e muito elegante, com uma boa acidez, mostra-se fresco e refrescante. O final de boca deixa boas notas cítricas. Um branco que apresenta juventude e vivacidade, muito fácil de beber. Perfeito para as mais diversas ocasiões.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A

Região

Douro

Tipo de Solo

Micaxisto

Idade das Cepas

15- 55 anos

Castas

Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical e outras

Densidade por HA

4000-6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

350-500

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não

Fermentação

Cubas de aço inox

Engarrafado

Março 2019

Estágio

6 meses em cuba de aço inox

Extracto Seco (g/dm3)

17.7

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

11.8

pH

3.22

Acidez Total (g/dm3)

5.4

Acidez Volátil (g/dm3)

0.3

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

35

SO2 Total (mg/dm3)

110

Massa Volúmica (g/cm3)

0.98

Produção

125 000 garrafas

Alergénios

Sulfitos

Sugestão de acompanhamento

Peixes grelhados, assados e Carnes brancas.

Apto para Veganos

sim

Garrafa

Caixa

31 16 23 × 6 7400 cardboard

Palette

120 80 × 4 Fiadas 100 Caixas