BuçacoBuçaco

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

O 2001 Branco mostra enorme profundidade de aromas e grande complexidade. Apresenta-se ainda cheio de sugestões de fruto a que se associa um carácter fumado. Grande amplitude e cremosidade associadas a uma enorme acidez e comprimento.

Está num momento perfeito, de onde não sairá por muitos e longos anos.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

O 2002 Branco mostra uma juventude invejável, com as suas sugestões de fruto, mel e fumo. Elegante, fino e transparente. Longo e em perfeita harmonia.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

Considerando o ano muitíssimo quente, a frescura e a juventude deste vinho são marcantes, logo na primeira impressão. Não mostra sinais de evolução. Muito complexo, com sugestões de resina e um carácter limonado. Enorme frescura.

Na boca, enorme profundidade de sabores e uma maravilhosa acidez. Tem muitos anos de vida pela frente.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

O 2005 Branco é uma das estrelas da década. Ainda muito jovem, mostra-se repleto de sugestões de fruta, de fumo e de frescura.

A elevada acidez mostra a raça deste vinho a cada trago. Ainda muito jovem na boca, mas mostrando-se já a quem o bebe.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

O 2008 Branco um dos melhores da sua década, graças à enorme pureza de aromas, à sua elegância e transparência, precisão e foco. Grande equilíbrio num vinho cheio de raça e potencial. Com um grande futuro à sua frente.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

Este 2009 Branco é fresco, com um carácter mineral muito marcado. Apresenta notas de pedra, uma acidez elevada e enorme precisão. De final muito longo, nobre e equilibrado.

"Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre de Almeida, um visionário. Todos os apreciadores de vinho deveriam ter essa oportunidade, pelo menos, uma vez na vida."

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Idade das Cepas

20-40 anos

Castas

Encruzado, Maria Gomes, Bical

Período de Vindima

Setembro 2009

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Notas de Prova

O 2010 Branco mostra-se profundo, com uma tosta muito fina e notas minerais envolvidas num aroma cítrico fresco. Revelando uma elevada acidez, na boca apresenta-se muito jovem, vibrante e envolvente. Um vinho para as próximas décadas.

"Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre de Almeida, um visionário. Todos os apreciadores de vinho deveriam ter essa oportunidade, pelo menos, uma vez na vida."

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Idade das Cepas

20-40 anos

Castas

Encruzado, Maria Gomes, Bical

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. Estes vinhos fermentam e estagiam em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Encruzado (Dão), Maria Gomes e Bical (Bairrada)

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Notas de Prova

O Buçaco 2001 ainda se apresenta jovem, com muitos aromas primários, com a densidade da fruta aliada a uma complexidade que os anos lhe foram garantindo sob a égide das notas de tabaco, especiarias e sugestões minerais. Muito firme e estruturado, mas de grande profundidade e com taninos de veludo.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Álcool (%)

13.5

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Notas de Prova

O Buçaco 2002 apresenta um bonito fruto vermelho, a que se associam notas especiadas e de folhas secas. Fresco e elegante no estilo. Equilibrado e assertivo, mostra o que de melhor se fez nesta colheita. Está num momento soberbo.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Álcool (%)

13.5

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Notas de Prova

O Tinto 2004 é um vinho de grande densidade no fruto, floral, a lembrar a presença da Touriga Nacional. Ainda muito jovem e fechado, mas de enorme profundidade.

Grande profundidade e estrutura de boca. Termina longo e poderoso.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Álcool (%)

13.5

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Notas de Prova

O Tinto 2007 é um vinho de grande carácter no fruto, nas sugestões de violetas e nas sugestões quentes das especiarias. Ainda assim, apresenta-se fresco e vibrante.

Estruturado, mas ao mesmo tempo elegante, de taninos muito finos, mas ainda muito jovens.

O tempo em garrafa será bom conselheiro.

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Forma de Vindima

Manual

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Álcool (%)

13.5

Alexandre de Almeida, fundador da cadeia de hotéis com o mesmo nome, a mais antiga em Portugal, criou os Vinhos do Bussaco em 1917, quando, após inúmeras viagens por hotéis Europeus, nomeadamente os franceses da "Côte D'Azur", se apercebeu do conceito de Adega de Hotel. Adoptou, então, a ideia de criar uma adega própria no Palace Bussaco, iniciando a vinificação do que viriam a ser os gloriosos “vinhos do Bussaco”.

No início do século XX, nascia uma das mais interessantes páginas do vinho português. Nascia o vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, intencionalmente, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, adoptou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega com um vinho próprio. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas e a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco eram mesmo assim: objectos de culto, limitados a círculos muito restritos, à elite. Os seus fantásticos e nobres rótulos mantêm até hoje o símbolo da sua nobreza.

Vinificação

Os Buçaco foram, e ainda são, sempre vinificados da mesma maneira e com os mesmos métodos de antigamente. O facto de as uvas terem origem nas regiões do Dão e da Bairrada garante um vinho genial, que evolui nobremente em garrafa. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Notas de Prova

O Tinto 2009 é um vinho profundo, que reflecte a elegância da Touriga Nacional do Dão, e a frescura e vigor da Baga da Bairrada. Com fruta preta, mostra-se ligeiramente rústico e complexo, apresentando um enorme potencial de envelhecimento.

"Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre de Almeida, um visionário. Todos os apreciadores de vinho deveriam ter essa oportunidade, pelo menos, uma vez na vida."

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Dão e Bairrada

Castas

Baga (Bairrada), Touriga Nacional (Dão e Bairrada)

Período de Vindima

Setembro 2009

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Em barrica

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês (300l)

Álcool (%)

13.5

No início do Século XIX, nascia uma das mais interessantes páginas do Vinho Português, nascia um vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, por vontade própria, fora das luzes da ribalta.

O seu criador, Alexandre de Almeida, importou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma uma adega e um vinho próprio. Nasciam assim os grandes Vinhos do Buçaco.

Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas, a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco, eram assim mesmo, objectos de culto, limitados a círculos muito fechados, à elite.

Os Buçaco, foram, e ainda o são, sempre vinificados da mesma maneira, com os mesmos preceitos de antigamente. A sua "mistura", das regiões do Dão e da Bairrada, garantia assim, um vinho genial, que evoluía nobremente em garrafa e os seus fantásticos e nobres rótulos, que mantêm até aos dias de hoje, o símbolo do seu pedigree, da sua estirpe.

Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre Almeida, um visionário. Oportunidade esta que todos os que apreciam o Vinho, deveriam ter, nem que seja uma vez na vida.

Vinificação

Em 2010, optou-se por engarrafar este vinho proveniente da Vinha da Mata, uma vinha singular na Bairrada, em plena Mata do Buçaco. É engarrafado apenas em anos excepcionais. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica.

Notas de Prova

O Vinha da Mata 2010 é vigoroso, apresentando um perfil aromático complexo. Com fruta preta, flores e uma boa tosta, é um vinho estruturado, com taninos presentes mas muito finos. Revela-se complexo e intenso num final de boca muito longo. Um vinho para durar.

"Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre de Almeida, um visionário. Todos os apreciadores de vinho deveriam ter essa oportunidade, pelo menos, uma vez na vida."

Informação Técnica

Produtor

Alexandre Almeida Hotels

Região

Bairrada

Idade das Cepas

20-40 anos

Castas

70% Baga, 30% Touriga Nacional

Período de Vindima

Setembro 2010

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Em barrica

Fermentação

Barricas de carvalho francês

Estágio

12 meses em barricas de carvalho francês

Álcool (%)

13.5