BatutaBatuta

Pelo segundo ano consecutivo, a Niepoort produz o seu mais aclamado vinho de mesa, o Batuta 2000. Depois da estreia auspiciosa com a vindima de 1999, um novo Batuta surge no mercado. O perfil continua semelhante, mas infelizmente a produção mantém-se exígua. Dirk Niepoort explica que “As vinhas muito boas e com produções diminutas no Douro são muito limitadas, e o facto de ser um vinho que exige uma atenção e rigor excessivos em todas as fases, torna o processo complicado e dispendioso.” A origem do vinho continua inalterável: vinhas muito velhas da Quinta do Carril e uma parcela muito próxima. Estes terrenos na zona do Cima Corgo, virados a Norte, têm um aspecto muito curioso: os seus solos são atravessados por lençóis de água, tornando os terrenos menos secos do que o habitual na região.

Vinificação

A qualidade também está muito dependente do ano climatérico e 2000 foi, em diversos aspectos, muito diferente do anterior. “A qualidade foi na mesma fantástica mas, ao contrário da vindima de 1999, foi tudo muito fácil, sem chuva e doenças”. As cepas produziram pouco e as uvas foram colhidas no momento certo, apresentando “muita casca, pouco sumo e grande concentração”.

Depois de apanhadas, as uvas foram vinificadas na adega em cubas de inox, com macerações entre 7 a 30 e 35 dias “muito trabalhadas no princípio”. O estágio ocorreu em barricas de carvalho francês, François Frère, durante 18 meses. Em Junho de 2002 foram engarrafadas 5.000 garrafas.

Dirk Niepoort descreve o Batuta 2000 como um vinho “muito denso e fechado. Austero. Encorpado, com força e concentração: um vinho para muitos anos”.

Notas de Prova

Distinto e poderoso no nariz. Apesar de se encontrar muito fechado e austero, revela uma classe e complexidade que deslumbra repetidamente. Encorpado e cheio, com grande concentração de frutos pretos e abundantes taninos (muito finos!). Denso. A estrutura é notável e possui uma harmonia que impressiona durante toda a prova. Final muito longo. Este é um vinho majestoso que irá continuar a deslumbrar durante várias décadas.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outra vinha próxima

Idade das Cepas

60 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca e Tinta Roriz

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot duplo e cordão bilateral

Altura do Mar

100-200

Período de Vindima

Outubro

Forma de Vindima

Caixas

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas de aço inox

Engarrafado

Junho 2002

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

34.6

Açúcar Residual (g/dm3)

1.72

Álcool (%)

14

pH

3.55

Acidez Total (g/dm3)

6.1

Acidez Volátil (g/dm3)

0.59

Produção

5.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

Depois de um ano difícil como 2002, surge mais um Batuta, num estilo cada vez mais intenso e fino, com uma complexidade e austeridade que o tornam num grande vinho para muitos anos. A origem deste vinho continua a ser as vinhas muito velhas da Quinta do Carril. Estes terrenos na zona do Cima Corgo, virados a Norte, têm um aspecto muito curioso: os seus solos são atravessados por lençóis de água, tornando os terrenos menos secos do que é habitual na região, o que permite maturações mais lentas, principalmente em anos quentes e secos. Estas vinhas raras no Douro têm produções diminutas, e o facto de ser um vinho que exige uma atenção e rigor excessivos em todas as fases, torna o processo complicado e dispendioso. Tudo isto torna o Batuta um vinho de produção muito limitada.

Vinificação

O ano de 2003 foi extremamente quente e seco, tendo dado origem a vinhos mais maduros. No entanto, com o Batuta foi feito um esforço para se manter a frescura e a elegância do vinho, evitando ao máximo os aromas de sobrematuração. A vindima foi feita na primeira quinzena de Setembro, tendo sido feita uma escolha criteriosa com o fim de retirar todas as uvas já secas ou sobremaduras. Desta forma, foi possível obter uvas com concentração mas, acima de tudo, equilibradas.

Notas de Prova

Distinto e impressionante no nariz. Apesar de se mostrar muito austero, revela uma grande classe e complexidade. Encorpado, mas sem ser pesado, com grande concentração de frutos pretos e especiarias, possui abundantes taninos, mas sempre finos como consequência das macerações prolongadas. Denso, com uma estrutura notável, possui uma harmonia que impressiona durante toda a prova. Final muito longo.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinta Amarela, Touriga Nacional e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

300-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Lagares inox

Engarrafado

Julho 2005

Estágio

18 meses em barricas (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

34.2

Álcool (%)

14

pH

3.63

Acidez Total (g/dm3)

5.3

Acidez Volátil (g/dm3)

0.62

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

30

Produção

10.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

O Batuta é um vinho de extremos, que deve sempre conciliar concentração com elegância. Com taninos presentes mas muito finos, frescura bastante para proporcionar um fim de boca muito longo. Tem como base a vinha do Carril, com mais de 70 anos, virada a Norte, que permite maturações mais lentas e mais equilibradas. O Batuta 2004 é um vinho extraordinário que resulta de uma vinificação delicada, de macerações levadas ao limite onde todos os detalhes são levados em conta, para que se obtenha um vinho complexo, fino e elegante. O resultado é um vinho de grande equilíbrio, profundo e denso e ao mesmo tempo fresco e muito longo, só possível num ano equilibrado como foi 2004.

Vinificação

2004 foi um ano extremamente seco que condicionou desde cedo o tamanho do bago. No entanto, a chuva ocorrida em meados de Agosto permitiu uma maturação muito equilibrada, com taninos maduros e sem excessos no teor de açúcares dos mostos, principalmente nas vinhas viradas a Norte.

A vindima decorreu na primeira quinzena de Setembro, embora o estado geral das uvas fosse de grande qualidade. A sua selecção foi criteriosa na vinha e na mesa de escolha da adega; após desengace total, o Batuta fermentou em pequenas cubas tronco-cónicas de inox, sem inoculação. As uvas foram pouco trabalhadas durante toda a fermentação para evitar qualquer extracção excessiva. Com 2 dias de maceração pré-fermentativa e 2 meses de maceração total, o vinho passou directamente para um estágio de 20 meses em barricas de carvalho francês, com maior percentagem de barricas novas, onde também decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Cor rubi muito carregada, com aroma distinto de grande intensidade e complexidade e fruta preta concentrada. Notas intensas de especiarias (pimenta preta, verde, cravinho), notas balsâmicas e resinosas com elegância, aromas a terra, termina a tosta, café e moka. Na boca, tem grande amplitude e precisão, com fruta e mineralidade que impressionam. Apresenta uma grande estrutura com taninos muito finos e uma frescura sedutora. Tudo conjugado num final longo e muito persistente. Um vinho para as próximas décadas.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e Pinhão

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Lagares inox

Engarrafado

Julho 2006

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

31.9

Álcool (%)

14

pH

3.52

Acidez Total (g/dm3)

5.75

Acidez Volátil (g/dm3)

0.69

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

32

Produção

12.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

O Batuta não é um vinho feito todos os anos e o Batuta 2005 é o sexto ano em que este vinho foi produzido. É um vinho de extremos, com concentração, elegância, taninos presentes, mas muito finos, frescura e um longo fim de boca. A base deste vinho é a vinha do Carril, com mais de 70 anos, situada numa encosta virada a Norte, que permite maturações mais lentas e equilibradas e também outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximas da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma vinificação delicada, de macerações levadas ao limite onde todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha este vinho complexo, fino e elegante.

Vinificação

A vindima ocorreu na primeira metade do mês de Setembro. Após criteriosa selecção na vinha e na mesa de escolha da adega, as uvas foram totalmente desengaçadas. A fermentação natural ocorreu em cubas tronco-cónicas, com uma maceração total que variou entre os 30 e os 60 dias. O vinho passou directamente para barricas de carvalho francês onde decorreu a fermentação maloláctica e onde estagiou por um período de 20 meses.

Notas de Prova

Cor intensa e carregada, aroma distinto de grande intensidade e complexidade, com fruta preta e vermelha. Notas intensas de aromas terrosos e especiarias (pimenta preta, verde, cravinho), notas balsâmicas e minerais e um aroma elegante que termina com ligeiro tostado de café e moka. Na boca tem grande amplitude e precisão, com fruta e mineralidade que impressionam; apresenta uma grande estrutura com taninos muito finos e uma frescura sedutora. Tudo conjugado num final longo e muito persistente, para uma vida longa em garrafa.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e cerca de 100 anos

Castas

Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox tronco-cónicas

Engarrafado

Agosto 2007

Estágio

20 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

29.4

Álcool (%)

14

pH

3.75

Acidez Total (g/dm3)

4.9

Acidez Volátil (g/dm3)

0.59

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

32

Produção

8.350 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

O Batuta não é um vinho feito todos os anos. A base deste vinho é a vinha do Carril, com mais de 70 anos e também outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximo da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma criteriosa selecção na vinha e na mesa de escolha da adega, e de uma vinificação delicada com macerações levadas ao limite onde todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha um vinho complexo, fino e elegante. O vinho estagia em barricas de carvalho francês por um período de 20 a 22 meses, apresentando cor intensa e carregada, com grande intensidade e complexidade aromática. Na boca tem grande amplitude e precisão, austero, com fruta preta discreta, muito focado na mineralidade, apresenta uma grande estrutura com taninos de veludo e uma frescura sedutora. Tudo conjugado no final longo e muito persistente, para uma vida longa em garrafa e um grande potencial de envelhecimento.

Vinificação

A vindima ocorreu em Setembro. Após criteriosa selecção na vinha e na mesa de escolha da adega, as uvas foram totalmente desengaçadas. A fermentação natural ocorreu em cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira usada com uma maceração total superior a 40 dias, mas sem grandes extracções. O vinho passou directamente para barricas de carvalho francês onde decorreu a fermentação maloláctica e onde estagiou por um período de 20 meses.

Notas de Prova

Cor intensa e carregada, aroma distinto de grande intensidade e complexidade, com fruta preta, notas intensas de aromas terrosos e especiarias (pimenta preta, verde, cravinho). Aromas balsâmicos e minerais, elegante, terminando com ligeiro tostado de café e moka, com tudo muito bem integrado. Na boca tem grande amplitude e precisão; austero com fruta discreta, é muito focado na mineralidade, apresentando uma grande estrutura com taninos de veludo e uma frescura sedutora. Tudo conjugado num final longo e muito persistente, para uma vida longa em garrafa.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e cerca de 100 anos

Castas

Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox tronco-cónicas

Engarrafado

Julho 2009

Estágio

20 meses em barricas (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

27.6

Açúcar Residual (g/dm3)

2.1

Álcool (%)

14

pH

3.62

Acidez Total (g/dm3)

5.16

Acidez Volátil (g/dm3)

0.71

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

24

Produção

13.720 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

Não sendo um vinho feito todos os anos, o Batuta 2007 representa o sétimo ano em que este vinho foi produzido. É um vinho de extremos, com concentração, elegância, taninos presentes, mas muito finos, frescura e um longo fim de boca. A base deste vinho é a vinha do Carril, com mais de 70 anos, situada numa encosta virada a Norte, que permite obter maturações mais lentas e equilibradas e também outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximo da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma vinificação delicada, de macerações levadas ao limite onde todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha este grande vinho complexo, fino e elegante.

Vinificação

O ano de 2008 foi excelente na região do Douro. As chuvas ocorridas durante a Primavera e o início do Verão permitiram manter os níveis de humidade no solo até ao momento da vindima. Por outro lado, as baixas produtividades verificadas, resultantes de uma fraca nascença e de uma sofrida floração com elevados teores de humidade, deram origem a mostos muito equilibrados, com boa acidez e teores de açúcar nada excessivos.

A vindima ocorreu em Setembro e após criteriosa escolha, tanto na vinha como na adega, as uvas foram totalmente desengaçadas. A fermentação natural ocorreu em cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira usada, com uma maceração total superior a 50 dias. O vinho passou directamente para barricas de carvalho francês onde decorreu a fermentação maloláctica e onde estagiou por um período de 21 meses.

Notas de Prova

Cor intensa e carregada. Aroma distinto de grande intensidade e complexidade, com fruta preta, notas intensas de aromas terrosos e especiarias (pimenta preta, verde, cravinho). Mineral e elegante, termina com ligeira nota de café e caixa de charuto.

Na boca tem grande amplitude e precisão, austero, com fruta discreta, é muito focado na mineralidade. Apresenta uma grande estrutura com taninos densos mas finos, e uma frescura sedutora. Tudo conjugado num final longo e muito persistente, para muitos anos na garrafa.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e cerca de 100 anos

Castas

Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox tronco cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Julho 2010

Estágio

21 meses em barricas (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

27.1

Açúcar Residual (g/dm3)

2.1

Álcool (%)

13.5

pH

3.61

Acidez Total (g/dm3)

5.04

Acidez Volátil (g/dm3)

0.72

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

17

Produção

15.163 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

O Batuta é um vinho de extremos. De todos os vinhos Niepoort, é aquele que demonstra um comportamento mais discreto; os taninos estão presentes mas são muito finos, o aroma é muito rico e intenso mas nunca exuberante, é cheio de concentração, própria das vinhas velhas do Douro, mas mostra-se sempre fresco e elegante. A base deste vinho é a vinha do Carril, com mais de 70 anos, situada numa encosta virada a Norte, que permite obter maturações lentas e equilibradas. Provém também de outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximas da Quinta de Nápoles. O Batuta resulta de uma vinificação delicada, com macerações levadas ao limite, onde todos os detalhes são tidos em conta para que se obtenha este grande vinho, complexo, fino e elegante.

Vinificação

2009 foi um ano muito fresco, até ao início de Agosto. Uma boa quantidade de água no solo e um Verão bastante mais fresco do que é habitual no Douro deixavam antever um período de maturação prolongado e uma vindima facilitada No entanto, as altas temperaturas que se fizeram sentir a partir de 12 de Agosto aceleraram o processo de maturação. A vindima começou mais cedo, no fim de Agosto, início de Setembro. A fermentação decorreu em cubas tronco cónicas de inox e em balseiros de madeira, com macerações superiores a 60 dias. O vinho passou depois directamente para barricas de carvalho francês, das quais 40% novas e 60% de 2.°, 3.° e 4.° ano, onde ocorreu a fermentação maloláctica e onde estagiou durante 22 meses.

Notas de Prova

Cor muito intensa e carregada, aroma de grande complexidade com notas de fruta preta e especiarias (pimenta preta, verde, cravinho). Mineral e elegante, termina com ligeira nota de café e caixa de charuto.

Na boca é rico, com concentração, mas fresco e austero, com fruta discreta e muito focado na mineralidade. Apresenta uma grande estrutura, com taninos muito finos e bem integrados e uma frescura sedutora que prolonga um longo final. Grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Agosto/ Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox tronco cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Agosto 2011

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

28.9

Açúcar Residual (g/dm3)

2.2

Álcool (%)

14

pH

3.56

Acidez Total (g/dm3)

5.44

Acidez Volátil (g/dm3)

0.78

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

16

Produção

11.030 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

O Batuta é um vinho de extremos, ao mesmo tempo que tem mais de tudo, é aquele que demonstra um comportamento mais discreto; os taninos estão presentes mas são muito finos, o aroma é intenso mas nunca exuberante, é cheio de concentração, própria das vinhas velhas do Douro, mas mostra-se sempre fresco e elegante. Cada vez mais o Batuta é um vinho contra corrente, onde menos é mais.

A base deste vinho é a vinha do Carril, com mais de 70 anos, situada numa encosta virada a Norte, que permite obter maturações mais lentas e equilibradas. As uvas provêm também de outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximas da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma vinificação delicada, com macerações levadas ao limite, em que todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha um grande vinho: complexo, fino e elegante.

Vinificação

2010 foi um ano extraordinariamente húmido, durante o Inverno e início da Primavera, com chuvas muito fortes. Como consequência disso, a vindima foi abundante, mas o ano vitícola muito pressionado pelas doenças da vinha. O período de maturação foi quente e seco, no entanto, as chuvas ligeiras do início de Setembro ajudaram as vinhas a terminar a sua maturação de uma forma mais equilibrada, especialmente as mais velhas plantadas em altitude. A vindima foi feita no início de Setembro.

As vinhas velhas não sofreram com o aumento de produção, na verdade, esse foi o elemento-chave para obter maturações mais prolongadas no tempo. A fermentação foi feita em cubas tronco-cónicas de inox e em balseiros de madeira, com macerações de cerca de 60 dias, o vinho passou depois directamente para barricas de carvalho francês, das quais 30% eram novas, onde estagiou durante 22 meses.

Notas de Prova

Cor muito viva e intensa. O aroma é de grande complexidade, com notas de ameixa e frutos vermelhos e notas de especiarias (pimenta preta, verde, cravinho) com uma elegante fragância a lembrar as ervas mediterrânicas da região. Mineral e elegante termina com notas fumadas. Na boca é muito elegante com grande frescura e uma estrutura muito firme suportada por taninos de veludo. É austero, com fruta discreta e muito focado na mineralidade, tem grande persistência prometendo uma vida longa na garrafa.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 anos e mais de 100

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Agosto 2012

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (30% novas)

Extracto Seco (g/dm3)

27.1

Álcool (%)

13

pH

3.58

Acidez Total (g/dm3)

5.1

Acidez Volátil (g/dm3)

0.8

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

18

Produção

13.014 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

Menos é mais, reflecte o conceito deste vinho. O Batuta é um vinho de extremos, ao mesmo tempo que tem mais de tudo, é aquele que demonstra um comportamento mais discreto; os taninos estão presentes mas são muito finos, o aroma é intenso mas nunca exuberante, é cheio de concentração, própria das vinhas velhas do Douro, mas mostra-se fresco e elegante.

A base deste vinho são uvas da vinha do Carril, com mais de 70 anos, situada numa encosta virada a Norte, que permite obter maturações lentas e equilibradas. As uvas provêm também de outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximas da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma vinificação delicada, com macerações longas mas com pouca extracção, em que todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha este grande vinho: complexo, fino e elegante.

Vinificação

O ano de 2011 caracterizou-se por uma floração muito precoce e todo o ciclo vegetativo foi antecipado com a vindima a iniciar-se muito mais cedo do que é habitual. No entanto, as vinhas plantadas a altitudes mais elevadas tiveram uma maturação mais lenta e os vinhos acabaram por apresentar graus alcoólicos moderados e bons teores de ácido tartárico e málico.

A vindima começou mais cedo que o habitual, no dia 5 de Setembro. Depois de uma selecção criteriosa, quer na vinha quer na adega, a fermentação decorreu em cubas de inox tronco-cónicas e balseiros de madeira, com maceração durante cerca de 60 dias. Estagiou depois, durante 22 meses em barricas de carvalho Francês, das quais 25% de madeira nova, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Com uma cor jovem e viva, o Batuta 2011 mostra um nariz distinto, poderoso e complexo. Encorpado e cheio, apresenta grande concentração de frutos pretos, taninos delicados e finos. Denso, com uma estrutura notável, possui uma harmonia que impressiona durante toda a prova. Tem grande persistência prometendo uma vida longa na garrafa.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Junho 2013

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (25% novas)

Extracto Seco (g/dm3)

28.7

Açúcar Residual (g/dm3)

0.9

Álcool (%)

14

pH

3.57

Acidez Total (g/dm3)

5.2

Acidez Volátil (g/dm3)

0.8

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

20

Produção

14.200 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

"Menos é mais", reflecte o conceito deste vinho. O Batuta é um vinho de extremos, ao mesmo tempo que tem mais de tudo, é aquele que demonstra um comportamento mais discreto; os taninos estão presentes mas são muito finos, o aroma é intenso mas nunca exuberante, é cheio de concentração, própria das vinhas velhas do Douro, mas mostra-se fresco e elegante.

A base deste vinho são uvas da vinha do Carril, com mais de 70 anos, situada numa encosta virada a Norte, que permite obter maturações lentas e equilibradas. As uvas provêm também de outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximas da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma vinificação delicada, com macerações longas mas com pouca extracção, em que todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha este grande vinho: complexo, fino e elegante.

Vinificação

O ano de 2012 ficou registado pela falta de chuva na região do Douro. Como consequência, o ciclo vegetativo da vinha começou, em média, 15 dias mais tarde do que nos anos anteriores. Por outro lado, o Inverno de 2012 ficou marcado pelas baixas temperaturas, o que permitiu um crescimento adequado e equilibrado da vegetação. O período de maturação foi menos quente do que o habitual e as temperaturas frescas permitiram que as uvas apresentassem uma boa acidez total, factor essencial para um palato fresco e equilibrado.

A vindima decorreu durante o mês de Setembro.

Depois de uma selecção criteriosa, quer na vinha quer na adega, a fermentação decorreu em cubas de inox tronco-cónicas e balseiros de madeira, com maceração durante cerca de 60 dias. Estagiou depois, durante 22 meses em barricas de carvalho francês, das quais 25% de madeira nova, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

O Batuta 2012 mostra uma cor muito viva e intensa. O aroma, de enorme complexidade e profundidade, apresenta notas de ameixa preta e frutos do bosque, conjugadas com especiarias, tais como pimenta preta e verde. Além da fruta, um carácter da vegetação mediterrânica também está presente, perfeitamente integrado num perfil fresco e mineral. Muito elegante no palato, fresco, de estrutura firme mas com taninos muito polidos e luxuosos. Apesar de jovem, mostra já um óptimo equilíbrio, graças a um bom volume de boca conjugado com uma excelente acidez natural. Final de boca muito fino, muito longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Julho de 2014

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (25% novas)

Extracto Seco (g/dm3)

27.6

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

13.5

pH

3.59

Acidez Total (g/dm3)

5.1

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

10

SO2 Total (mg/dm3)

42

Massa Volúmica (g/cm3)

0.991

Produção

11.562 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

O Batuta não é um vinho feito todos os anos. A base deste vinho é a vinha do Carril, com mais de 70 anos e também outras vinhas velhas (com cerca de 100 anos), próximo da Quinta de Nápoles. Este vinho resulta de uma criteriosa selecção na vinha e na mesa de escolha da adega, e de uma vinificação delicada com macerações levadas ao limite onde todos os detalhes são levados em conta para que se obtenha um vinho complexo, fino e elegante. O vinho estagia em barricas de carvalho francês por um período de 20 a 22 meses, apresentando cor intensa e carregada, com grande intensidade e complexidade aromática. Na boca tem grande amplitude e precisão, austero, com fruta preta discreta, muito focado na mineralidade, apresenta uma grande estrutura com taninos de veludo e uma frescura sedutora. Tudo conjugado no final longo e muito persistente, para uma vida longa em garrafa e um grande potencial de envelhecimento.

Vinificação

A vindima de 2013 começou no dia 19 de Agosto, mais cedo do que o habitual, de forma a manter os níveis altos de acidez e evitar graus alcoólicos elevados. O ano foi mais produtivo, cerca de 25%, relativamente ao ano anterior. A decisão de começar a vindimar mais cedo, acabou por se revelar acertada, uma vez que as principais vinhas tinham sido vindimadas antes de começar a chover intensamente a 27 de Setembro.

Depois de uma selecção criteriosa, quer na vinha quer na adega, a fermentação decorreu em cubas de inox tronco-cónicas e balseiros de madeira, com maceração durante cerca de 60 dias. Estagiou depois, durante 22 meses em barricas de carvalho francês, das quais 25% de madeira nova, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

O Batuta 2013 mostra uma bonita cor rubi, intensa e viva. Aroma profundo e complexo, embora ligeiramente contido, o seu perfil mineral e de frutos do bosque está em plena harmonia com as notas de barrica. Com o tempo no copo, o vinho vai mostrando várias camadas, num registo muito elegante, com especiarias frescas, tais como pimenta preta e cravinho. Fino e elegante na boca, com uma textura sedosa e estrutura firme, apresenta taninos muito polidos e luxuosos. Profundo e multidimensional. Apesar de jovem, impressiona pelo equilíbrio. Final de boca muito fino, muito longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Junho de 2015

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (25% novas)

Extracto Seco (g/dm3)

25

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12.5

pH

3.64

Acidez Total (g/dm3)

4.6

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

25

SO2 Total (mg/dm3)

83

Massa Volúmica (g/cm3)

0.991

Produção

12.242 garrafas

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril.

As uvas para produzir este vinho provêm do Carril, de uma vinha com mais de 70 anos virada a norte, e de vinhas velhas com cerca de 100 anos, próximas da Quinta de Nápoles. O Batuta resulta de uma vinificação delicada, com macerações prolongadas, mas com pouca extração onde todos os detalhes são cuidadosamente considerados para que se obtenha um vinho complexo, fino e elegante. É cheio de concentração, própria das vinhas velhas do Douro, mas simultaneamente fresco e delicado.

Vinificação

A colheita de 2014 foi ligeiramente inferior em produção relativamente a 2013, mas foi altamente compensada pela qualidade. Começou no início de Setembro, com o objectivo de se manter os altos níveis de acidez, equilíbrio e frescura dos vinhos. Tal como no ano anterior, o início precoce evitou a sobre maturação de algumas vinhas mais expostas e a chuva no final do mês.

Depois de uma selecção criteriosa, quer na vinha quer na adega, a fermentação decorreu em cubas de inox tronco-cónicas e balseiros de madeira, com maceração durante cerca de 60 dias. Estagiou durante 22 meses em barricas de carvalho francês, das quais 25% de madeira nova, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

O 2014 é provavelmente o Batuta mais leve e elegante de sempre, resultado da intenção de se criar vinhos cada vez mais finos e com pouca extração. Mostra uma leve cor rubi brilhante. O aroma é profundo, complexo e austero. O perfil mineral, com notas florais, cacau e frutos do bosque, encontram-se em plena harmonia com as notas de barrica. No copo, com o tempo, o vinho vai mostrando várias camadas, num registo muito elegante mas com tensão, reflectindo a frescura e mineralidade das vinhas centenárias. Fino e elegante na boca, com uma textura sedosa e estrutura firme, apresenta taninos muito polidos. Apesar de jovem, impressiona pelo equilíbrio e precisão. Final de boca muito fino, longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-750

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Junho de 2016

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (25% novas)

Extracto Seco (g/dm3)

25.5

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12.5

pH

3.56

Acidez Total (g/dm3)

5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

35

SO2 Total (mg/dm3)

115

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9919

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril, lulas ou polvo assado.

As uvas, para produzir este vinho, provêm da Quinta do Carril, de uma vinha com mais de 70 anos virada a norte e de vinhas velhas com cerca de 100 anos, próximas da Quinta de Nápoles. O Batuta resulta de uma vinificação delicada, com macerações prolongadas, mas com pouca extração onde todos os detalhes são cuidadosamente considerados para que se obtenha um vinho complexo, fino e elegante. É cheio de concentração, própria das vinhas velhas do Douro, mas simultaneamente fresco e delicado.

Vinificação

O ano vitícola de 2014/2015 caracterizou-se por um inverno frio e muito seco, com um recorde mínimo de precipitação quando comparado com os anos anteriores. A primavera e o verão foram secos e quentes, com três vagas de calor em junho e julho, antes de um mês de agosto mais fresco - a baixa humidade permitiu que a incidência de doenças atingisse um mínimo histórico e, como consequência, que as vinhas originassem bagos magníficos, extremamente limpos. Depois de uma selecção criteriosa, quer na vinha quer na adega, a fermentação decorreu em cubas de inox tronco-cónicas, com maceração pelicular durante cerca de 60 dias. O vinho estagiou durante 22 meses em barricas de carvalho francês, das quais 25% de madeira nova, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Com uma bonita cor rubi de média concentração, este Batuta é o mais fino e leve de que nos recordamos ter produzido. Apresenta um aroma muito austero, com as notas de frutos silvestres em plena harmonia com o carácter mineral. As notas de madeira apresentam-se discretas tais como as de especiarias. Complexo, com muito vigor e tensão na boca, impressiona pela delicadeza e o equilíbrio entre concentração e acidez. Fino e elegante na boca, com uma textura sedosa e estrutura firme, apresenta taninos muito polidos. Apesar de jovem, impressiona pelo equilíbrio e precisão. Final de boca muito fino, longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Altura do Mar

350-700m

Período de Vindima

Setembro 2015

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Sim, em barrica

Fermentação

Cubas tronco-cónicas e balseiros de madeira

Engarrafado

Junho 2017

Estágio

22 meses em barricas de carvalho francês (25% novas)

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12.5

pH

3.58

Acidez Total (g/dm3)

5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

45

SO2 Total (mg/dm3)

124

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril, lulas ou polvo assado.

O Batuta é um vinho fruto de duas vinhas velhas com diferentes altitudes e exposições. Após uma escolha criteriosa na vinha segue-se outra seleção na mesa de escolha da nossa adega seguida de uma vinificação bastante delicada com macerações levadas ao limite, onde todos os detalhes são tidos em conta para que se obtenha um vinho complexo, preciso e elegante.

Vinificação

O ano vitícola de 2016 caracterizou-se atípico, o Inverno foi quente e chuvoso, a Primavera fria e muito chuvosa e o Verão extremamente quente e seco. As condições do estado do tempo contribuíram para um abrolhamento precoce (cerca de duas semanas) verificando-se, no entanto, ao longo da Primavera, um atraso significativo do ciclo vegetativo, em especial do "Pintor", que ocorreu com cerca de duas semanas de atraso.

As vinhas que deram origem ao Batuta foram vindimadas nas duas primeiras semanas Setembro.

Notas de Prova

Com uma bonita cor rubi de boa concentração, o Batuta 2016 demonstra um pouco mais de concentração e sobretudo profundidade face às últimas colheitas. Apresenta um aroma muito austero, complexo e generoso nas notas de frutas do bosque. Ligeiramente floral e de carácter mineral muito bem definido com as notas de madeira são elegantes e discretas.

Fino e elegante na boca, com muito boa acidez que suporta a estrutura tânica. Apesar de jovem, impressiona pela precisão e profundidade. Final de boca muito fino, longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Qta do Carril e outras vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Duplo Guyot e Royat

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Em barrica de carvalho francês

Fermentação

Em cubas de Inox

Engarrafado

Julho 2018

Estágio

22 meses em barrica de carvalho francês

Extracto Seco (g/dm3)

26

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12.4

pH

3.59

Acidez Total (g/dm3)

5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

19

SO2 Total (mg/dm3)

79

Massa Volúmica (g/cm3)

0.99

Produção

11900 garrafas

Alergénios

Sulfitos

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril, lulas ou polvo assado.

Apto para Veganos

sim

Garrafa

Caixa

17 24.5 33 × 6 9390 wood

Palette

120 80 × 8 Fiadas 80 Caixas

O Batuta é um vinho fruto de duas vinhas velhas com diferentes altitudes e exposições. Após uma escolha criteriosa na vinha segue-se outra seleção na mesa de escolha da nossa adega seguida de uma vinificação bastante delicada com macerações levadas ao limite, onde todos os detalhes são tidos em conta para que se obtenha um vinho complexo, preciso e elegante.

Vinificação

O Ano vitícola de 2017 caracteriza-se por um Inverno seco, com precipitações muito inferiores à media dos últimos 30 anos, e uma Primavera quente e seca, com ondas de calor até ao final de Junho. Com o aumento das temperaturas médias e a falta de precipitação a videira mostrou um avanço na fenologia de cerca de 15 dias desde o abrolhamento até ao Pintor. O Verão continuou com temperaturas altas e precipitação baixa originando um inicio de vindima precoce, intensa e curta.

Notas de Prova

Com uma bonita cor rubi de boa concentração, o Batuta 2017 demonstra um pouco mais de concentração e sobretudo profundidade face às últimas colheitas. Apresenta um aroma muito austero, complexo e generoso nas notas de frutas do bosque. Ligeiramente floral e de carácter mineral muito bem definido com as notas de madeira são elegantes e discretas.

Fino e elegante na boca, com muito boa acidez que suporta a estrutura tânica. Apesar de jovem, impressiona pela precisão e profundidade. Final de boca muito fino, longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Vinhas velhas

Idade das Cepas

70 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

350-700

Período de Vindima

Agosto e Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Em barricas de carvalho Francês

Fermentação

Em cubas de Inox

Engarrafado

Junho 2019

Estágio

22 meses em barricas de carvalho Francês

Extracto Seco (g/dm3)

26.3

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

13.3

pH

3.63

Acidez Total (g/dm3)

5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.8

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

21

SO2 Total (mg/dm3)

83

Massa Volúmica (g/cm3)

0.99

Produção

12000 garrafas

Alergénios

Sulfitos

Sugestão de acompanhamento

O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril, lulas ou polvo assado.

Apto para Veganos

sim

Garrafa

Caixa

17 24.5 33 × 6 9390 wood

Palette

120 80 × 8 Fiadas 80 Caixas