PoeirinhoPoeirinho

O Poeirinho, cujo nome reflecte o nome antigo da casta Baga, é como que um tributo aos grandes vinhos bairradinos do passado.

A enorme paixão de Dirk Niepoort pela casta Baga e pelo fantástico terroir da região da Bairrada fez com que ao longo dos últimos 3 anos procurasse pequenas parcelas de Baga de vinhas muito velhas, espalhadas pela zona de Cantanhede. Estes vinhos eram leves na cor e no grau alcoólico, elegantes e finos logo após o engarrafamento, mas com um enorme potencial de guarda. Em 2012, na primeira edição do Poeirinho, criámos um vinho incrivelmente fresco e preciso, que é já, na nossa opinião, um dos melhores vinhos não fortificados produzidos pela Niepoort.

Vinificação

2012 foi um ano muito seco, quase sem chuva durante o Inverno e a Primavera. Como consequência disso, a rebentação ocorreu quinze dias mais tarde do que no ano anterior e todo o ciclo vegetativo se atrasou. O Verão não foi tão quente como habitualmente e as noites foram bastante frias nas duas últimas semanas de Agosto. A produção foi menor devido à falta de água no solo e a alguma chuva durante a floração. Por essa razão, os cachos e bagas apresentaram-se mais pequenos do que o normal, cerca de 20% a 30%, quando comparados com o ano anterior.

A vindima começou em finais de Setembro. Nas vinhas velhas, a maturação foi muito equilibrada, com um bom teor de açúcar nas uvas e um teor de ácido málico relativamente alto, tendo conferido bons pHs ao vinho, embora a acidez total fosse menor do que no ano anterior. Os vinhos tintos apresentam cores profundas, boa concentração, são equilibrados e com boa frescura. O Poeirinho 2012 provém de várias parcelas muito velhas, algumas das quais centenárias. Foi vinificado parte em lagar, parte em cubas de inox, onde fermentou e macerou durante 4 semanas. A malolática ocorreu em tonéis velhos de 2500L, onde estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração.

Notas de Prova

O Poeirinho 2012 mostra uma cor em tons violeta muito viva. Nariz de enorme complexidade, muito expressivo nas notas de frutos vermelhos, com um lado floral muito fresco. A pureza de aromas e a sua enorme frescura impressionam. O terroir calcário vibra no aroma e potencia a elegância e finesse da casta Baga. Na boca, é muito fino, com uma precisão fantástica. Vertical e com muita garra, tem taninos delicados que o tornam completamente apaixonante para se apreciar desde já, mas graças à muito boa acidez e à sua profundidade viverá longas décadas em cave. Final de boca refrescante, que nos convida a mais um copo de puro prazer.

Informação Técnica

Produtor

Quinta de Baixo (Vinhos) S.A.

Região

Bairrada

Tipo de Solo

Argilo-calcário

Idade das Cepas

Entre 80 e 150 anos

Castas

Baga

Densidade por HA

1500-2500

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

À cota do mar

Período de Vindima

Finais de Setembro 2012

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Tonéis

Fermentação

Lagar com 20% de engaço e cuba de inox com 15% de engaço

Engarrafado

Junho 2014

Estágio

20 meses em tonel

Extracto Seco (g/dm3)

20.3

Açúcar Residual (g/dm3)

1.6

Álcool (%)

12

pH

3.49

Acidez Total (g/dm3)

5.12

Acidez Volátil (g/dm3)

0.63

SO2 Total (mg/dm3)

55

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9917

Produção

6.000 garrafas/0.75L

Sugestão de acompanhamento

Cabrito assado, pratos com enchidos, bacalhau no forno ou pratos vegetarianos com leguminosas.

O Poeirinho, cujo nome reflecte a designação antiga da casta Baga, é um tributo aos grandes vinhos bairradinos do passado, que eram leves na cor e no grau alcoólico, mas que tinham um enorme potencial de envelhecimento.

A grande paixão de Dirk Niepoort por esta casta e pelo fantástico terroir da Bairrada fez com que ao longo dos últimos 3 anos procurasse pequenas parcelas de Baga de vinhas muito velhas, espalhadas pela zona de Cantanhede. A segunda edição do Poeirinho mantém um perfil incrivelmente leve e fresco, com energia e muito carácter.

Vinificação

2013 foi um ano húmido, com chuva durante o Inverno e Primavera. Como consequência, a rebentação ocorreu quinze dias mais tarde do que no ano anterior e todo o ciclo vegetativo se atrasou. O Verão não foi tão quente como habitualmente e as noites foram bastante frias nas duas últimas semanas de Agosto.

A vindima começou nas vinhas velhas em meados de Setembro. A maturação foi equilibrada, com as uvas a apresentarem um bom teor de açúcar e um teor de ácido málico relativamente alto, o que originou uma acidez total mais elevada que no ano anterior. O Poeirinho foi vinificado em lagar, onde fermentou durante 4 semanas, terminando a fermentação em tonel usado de 2500 L. A fermentação malolática decorreu no mesmo tonel, onde estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração.

Notas de Prova

O Poeirinho 2013 mostra uma cor violeta viva de média concentração. Aroma muito fino e complexo, com o terroir a sobressair de uma forma notável. Respira-se calcário em plena harmonia com fruta silvestre e floral. Na boca, embora tenha muita leveza e precisão, é um vinho imponente, completo e com muita garra. Profundo, muito mineral e refrescante. A acidez elevada e o tanino presente mas polido fazem-nos crer que irá crescer muito em garrafa. Final muito longo, vertical e fresco. Apreciar ligeiramente fresco (15ºC) e em copos tipo Pinot Noir.

Informação Técnica

Produtor

Quinta de Baixo (Vinhos) S.A.

Região

Bairrada

Tipo de Solo

Argilo-calcário

Idade das Cepas

100 anos

Castas

Baga

Densidade por HA

2500

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

À cota do mar

Período de Vindima

Meados de Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Tonel

Fermentação

Lagar/Tonel

Engarrafado

Junho 2015

Estágio

20 meses em tonel

Açúcar Residual (g/dm3)

1.2

Álcool (%)

11.5

Acidez Total (g/dm3)

5.4

Acidez Volátil (g/dm3)

0.69

SO2 Total (mg/dm3)

43

Produção

6.100 garrafas/0.75L

Sugestão de acompanhamento

Cabrito assado, pratos com enchidos, bacalhau no forno ou pratos vegetarianos com leguminosas.

O Poeirinho, cujo nome reflecte a designação antiga da casta Baga, é um tributo aos grandes vinhos bairradinos do passado, que eram leves na cor e no grau alcoólico, mas que tinham um enorme potencial de envelhecimento.

A grande paixão de Dirk Niepoort por esta casta e pelo fantástico terroir da Bairrada fez com que ao longo dos últimos anos procurasse pequenas parcelas de Baga de vinhas muito velhas, espalhadas pela zona de Cantanhede. Num ano muito difícil na Bairrada como foi 2014, conseguiu-se criar um vinho incrível com muito carácter.

Vinificação

O Inverno na Bairrada foi longo, rigoroso e com uma precipitação elevada, como já tinha acontecido em 2013. Uma Primavera quase inexistente e um Verão com temperaturas a rondar os 30°C dificultaram o controlo de doenças e a maturação.

Na vinha, iniciou-se o controlo de maturação em meados de Agosto, provando-se o bago e verificando-se o aspecto sanitário das uvas. A vindima começou no início de Setembro. O Poeirinho foi vinificado em lagar, onde fermentou durante 4 semanas, terminando a fermentação em tonel usado de 2500 L. A fermentação malolática decorreu no mesmo tonel, onde estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração.

Notas de Prova

O Poeirinho 2014 mostra uma cor violeta viva de ligeira concentração. O aroma é muito fino e complexo, com o terroir a sobressair de uma forma notável. Respira-se calcário em plena harmonia com notas de especiarias, cereja e frutos silvestres. Na boca, impressiona pela precisão, com uma enorme estrutura e muita garra. É incisivo, profundamente mineral e refrescante. A acidez elevada e os taninos presentes mas polidos fazem-nos crer que irá crescer muito em garrafa. Final muito longo, vertical e fresco. Com apenas 11% deve-se apreciar ligeiramente fresco (15ºC) e em copos tipo Pinot Noir.

Informação Técnica

Produtor

Quinta de Baixo (Vinhos) S.A.

Região

Bairrada

Tipo de Solo

Argilo-calcário

Idade das Cepas

100 anos

Castas

Baga

Densidade por HA

2500

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

À cota do mar

Período de Vindima

Meados de Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Tonel

Fermentação

Lagar/Tonel

Engarrafado

Junho 2016

Estágio

20 meses em tonel

Produção

7.942 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Cabrito assado, pratos com enchidos, bacalhau no forno ou pratos vegetarianos com leguminosas.

O Poeirinho, cujo nome é a antiga designação da casta Baga, é um tributo aos grandes vinhos bairradinos do passado, que eram leves na cor e no grau alcoólico, mas que tinham um enorme potencial de envelhecimento. A grande paixão de Dirk Niepoort por esta casta e pelo fantástico terroir da Bairrada, fez com que ao longo dos últimos anos, procurasse pequenas parcelas de Baga, de vinhas muito velhas, espalhadas pela zona de Cantanhede. Ano após ano, foi-se afinando, o estágio do Poeirinho, e em 2015, conseguiu-se expressar de forma singular a pureza da fruta e a personalidade atlântica típica da Bairrada.

Vinificação

2015 foi um ano húmido, com chuva durante o Inverno e a Primavera. Como consequência, a rebentação ocorreu quinze dias mais tarde do que no ano anterior e todo o ciclo vegetativo se atrasou. O Verão não foi tão quente como habitualmente e as noites foram bastante frias nas duas últimas semanas de Agosto. A vindima começou em meados de Setembro, nas vinhas velhas, com a maturação muito equilibrada, um bom teor de açúcar nas uvas e um teor de ácido málico relativamente alto, resultando numa acidez total mais alta do que no ano anterior. O Poeirinho 2015 provém de várias parcelas de vinhas muito velhas. Foi vinificado em lagar aberto e cuba fechada onde fez maceração carbónica e onde fermentou durante 4​ semanas terminando a fermentação em tonel. A fermentação malolática decorreu nos mesmo tonéis usados de 2500L, onde estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração.

Notas de Prova

Em 2015 o Poeirinho mostra uma cor violeta muito brilhante. No aroma é muito generoso, com fruta, muito expressivo e aromático. Com o tempo no copo demonstra muita classe, num aroma muito fino e delicado. Impressiona pelas notas salinas, marítimas, muito típicas do terroir de calcário. Na boca é muito preciso, com uma enorme estrutura e muita garra. É incisivo, profundamente mineral e refrescante, com fruta fresca (cerejas, morangos e bagas silvestres). A acidez elevada e os taninos presentes mas polidos fazem-nos crer que irá evoluir muito bem em garrafa. Final muito longo, vertical e fresco. Deve-se apreciar ligeiramente fresco (15ºC) e em copos tipo Pinot Noir.

Informação Técnica

Produtor

QUINTA DE BAIXO (Vinhos) SA

Região

Bairrada

Tipo de Solo

ARGILO CALCÁRIO

Idade das Cepas

100 anos

Castas

Baga

Densidade por HA

2500

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

Nível do mar

Período de Vindima

Meados de Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Sim, em tonel

Fermentação

Lagar/inox com maceração carbonica

Engarrafado

Junho 2017

Estágio

20 meses em Tonel

Açúcar Residual (g/dm3)

1

Álcool (%)

11.5

Acidez Total (g/dm3)

5.4

Acidez Volátil (g/dm3)

0.64

SO2 Total (mg/dm3)

60

Produção

9466 garrafas/0.75L

Alergénios

Sulfitos

Sugestão de acompanhamento

Cabrito assado, pratos com enchidos, bacalhau no forno ou pratos vegetarianos com leguminosas.

Garrafa

Caixa

35 29 × 3 wood

Palette

120 80 × 13 Fiadas 130 Caixas