Redoma RoséRedoma Rosé

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

A colheita decorreu cedo com o intuito de garantir a frescura e a acidez natural, juntamente com a complexidade das vinhas antigas. A fermentação ocorreu em barricas novas de carvalho francês sem envelhecimento. Mais tarde, o vinho envelheceu em inox durante 7 meses, com a fermentação maloláctica parcial a adicionar complexidade ao vinho. Daqui resultou um vinho de contrastes: intenso e suave, concentrado e fresco, e com uma boa acidez. Um rosé de grande complexidade.

Notas de Prova

Nariz intenso e elegante, com notas de fruto e especiarias e madeira bem integrada. Concentrado, mas ao mesmo tempo fresco e com uma acidez equilibrada.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e 50 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Inox (parcial)

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Abril 2005

Estágio

7 meses em inox

Extracto Seco (g/dm3)

23.8

Álcool (%)

13.25

pH

3.18

Acidez Total (g/dm3)

5.2

Acidez Volátil (g/dm3)

0.48

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

37

Produção

2.800 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

A vindima foi efectuada cedo com o intuito de preservar a frescura dos aromas e a acidez natural, obtendo simultaneamente a complexidade das vinhas velhas.

A fermentação efectuou-se em barricas novas de carvalho francês, sem estágio. O vinho não efectuou a fermentação maloláctica com a intenção de se manter a sua frescura natural.

O resultado é um vinho de contrastes, intenso mas leve, concentrado mas fresco, com uma boa acidez que lhe dá vida, um rosé de grande complexidade.

Notas de Prova

Muito intenso e elegante no nariz, com notas de fruta e especiarias e com a madeira muito bem integrada. Concentrado mas simultaneamente fresco e longo, com um grande volume. Apelativo pela sua complexidade, apresenta uma estrutura firme, uma acidez que lhe prolonga o final. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 50 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Maio 2006

Estágio

7 meses em cuba inox

Extracto Seco (g/dm3)

21.4

Álcool (%)

13

pH

3.54

Acidez Total (g/dm3)

5.22

Acidez Volátil (g/dm3)

0.23

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

32

Produção

8.700 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

O ano de 2006 foi mais húmido quando comparado com os anos anteriores, com chuva relativamente abundante no Inverno e uma Primavera com elevados teores de humidade relativa. O processo de maturação iniciou-se de forma equilibrada e as chuvas ligeiras ocorridas em meados de Agosto contribuíram para uma boa maturação. No entanto, as altas temperaturas verificadas na última semana de Agosto e primeiras semanas de Setembro anteciparam a data de vindima.

A fermentação efectuou-se em barricas novas de carvalho francês, sem estágio. O vinho não efectuou a fermentação maloláctica com a intenção de manter a sua frescura natural.

Notas de Prova

Muito intenso e elegante no nariz, com notas de fruta vermelha e especiarias, e tosta bem integrada. Concentrado mas simultaneamente fresco e longo, com um grande volume. De boa estrutura, termina elegante e complexo. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Maio 2007

Estágio

7 meses em cuba inox

Álcool (%)

12.85

pH

3.6

Acidez Total (g/dm3)

4.5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.4

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

30

Produção

11.200 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

O ano de 2007 foi relativamente húmido. O processo de maturação iniciou-se de forma equilibrada com bastante água no solo. Um Agosto mais fresco do que nos últimos anos contribuiu para uma boa maturação, equilibrada e sem excessos, dando origem a vinhos equilibrados sem teores alcoólicos excessivos.

A fermentação efectuou-se em barricas novas de carvalho francês, sem estágio. O vinho não efectuou a fermentação maloláctica com a intenção de se manter a sua frescura natural.

Notas de Prova

Muito intenso e elegante no nariz, mostra-se reservado à primeira prova mas abre no copo com notas de terra, fruta vermelha e especiarias com tosta muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Março de 2008

Estágio

6 meses em inox

Extracto Seco (g/dm3)

22

Açúcar Residual (g/dm3)

2.6

Álcool (%)

12.2

pH

3.52

Acidez Total (g/dm3)

4.94

Acidez Volátil (g/dm3)

0.26

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

30

Produção

11.760 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

O ano de 2008 foi relativamente húmido, à semelhança do que tinha ocorrido em 2007. O processo de maturação iniciou-se de forma equilibrada com bastante água no solo. As noites frescas no final do mês de Agosto e Setembro, bem como a baixa produção verificada na região permitiram obter mostos equilibrados com fruta muito elegante e grande frescura.

A fermentação efectuou-se em barricas novas de carvalho francês, sem estágio. O vinho não efectuou a fermentação maloláctica com a intenção de se manter a sua frescura natural.

Notas de Prova

Muito vivo e elegante no nariz, fruta vermelha e especiarias com tosta muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Maio de 2009

Estágio

6 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

22.7

Açúcar Residual (g/dm3)

3.4

Álcool (%)

13.5

pH

3.42

Acidez Total (g/dm3)

5.2

Acidez Volátil (g/dm3)

0.34

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

22

Produção

10.584 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

O ano de 2009 foi relativamente fresco até ao mês de Agosto e a partir do dia 12 a temperatura subiu drasticamente. Com a humidade existente no solo, o processo de maturação evoluiu muito rapidamente, a conjunção destes factores com uma vindima de muito baixa produção antecipou a data de colheita para início de Setembro. Alguns dos mostos obtidos, embora apresentassem teores de açúcares relativamente elevados, mostraram sempre uma boa acidez e frescura. O facto de as uvas serem provenientes de vinhas mais altas e predominantemente expostas a Norte e a Nascente também contribuiu para a obtenção de mostos frescos e com boa acidez.

Como sempre, a fermentação decorreu em barricas novas de carvalho francês e o estágio em cubas inox sem fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Muito vivo e intenso no nariz, com fruta vermelha, notas de especiarias e aromas a terra com tosta muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Abril de 2010

Estágio

6 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

22.7

Álcool (%)

14

pH

3.64

Acidez Total (g/dm3)

4.89

Acidez Volátil (g/dm3)

0.31

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

26

Produção

18.900 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

O ano de 2010 será recordado pelas fortes chuvas verificadas durante todo o Inverno e início de Primavera. As grandes quantidades de água no solo observadas contribuíram para um forte incremento na produção média da região bem como para um aumento da pressão de doenças criptogâmicas sobre as vinhas. Julho e Agosto foram quentes e secos, acelerando o processo de maturação na vinha. No entanto, o aumento de produtividade verificado impediu teores excessivos de açúcar nos mostos semelhantes aos da vindima do ano passado.

A fermentação foi feita em barricas novas de carvalho francês, seguida de estágio em cuba sem fermentação maloláctica, de forma a manter a frescura e a acidez suficientes para equilibrar a estrutura e o volume das vinhas velhas.

Notas de Prova

Muito vivo e intenso no nariz com fruta vermelha e flores brancas aromas de especiarias e terra com tosta muito bem integrada. Grande frescura e intensidade, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Pleno de fruta com um longo final.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Março de 2011

Estágio

5 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

19.8

Açúcar Residual (g/dm3)

1.8

Álcool (%)

13.03

pH

3.73

Acidez Total (g/dm3)

3.74

Acidez Volátil (g/dm3)

0.31

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

19

Produção

23.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999, tentando provar que um vinho de qualidade também pode ser rosé. Cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões. O Redoma Rosé é diferente dos demais; fermentado em barrica e proveniente de vinhas mais velhas, é um rosé mais para mesa do que para uma tarde de Verão. Com a frescura de um branco e a complexidade e estrutura de um tinto, mostra mais uma vez uma perspectiva diferente de um vinho rosé.

Vinificação

A rebentação da Primavera começou invulgarmente cedo em 2011, todo o ciclo vegetativo foi antecipado de uma forma geral e a data de vindima foi antecipada como nunca antes fora. Apesar destas condições, as vinhas plantadas a altitudes mais elevadas tiveram uma maturação mais lenta do que as demais e os seus vinhos apresentaram boas quantidades de ácido málico e ácido tartárico.

A fermentação foi feita em barricas novas de carvalho francês durante 20 dias e o vinho passou imediatamente para cubas de inox onde estagiou; a fermentação maloláctica foi parcialmente feita.

Notas de Prova

Cor viva e brilhante, aroma intenso com notas de fruta vermelha e ervas frescas, aromas de especiarias e terra, com um fumado e notas minerais muito bem integradas. Grande frescura e intensidade, com volume e boa estrutura, muita fruta e um final de boca muito prolongado.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

30 e mais de 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Parcialmente realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Abril de 2012

Estágio

6 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

21.6

Açúcar Residual (g/dm3)

3.4

Álcool (%)

12

pH

3.48

Acidez Total (g/dm3)

4.6

Acidez Volátil (g/dm3)

0.63

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

39

Produção

13.454 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999 e, cada vez mais, os vinhos rosés suscitam grandes paixões, sendo esta uma das razões por que Dirk Niepoort persiste em fazer o seu Redoma, um rosé do Douro com um carácter muito próprio. Contrariamente ao típico processo de vinificação do rosé, o Redoma Rosé é fermentado em barricas novas de carvalho francês depois de ser obtido o mosto de gota. Muito vivo e elegante no nariz, com fruta vermelha e especiarias, com tosta de madeira muito bem integrada. Grande frescura e comprimento, com volume e boa estrutura, mostrando bem a complexidade de vinhedos mais velhos. Sem dúvida, um rosé com muitos atributos para a boa mesa.

Vinificação

O ano de 2012 foi marcado pela falta de chuva na região do Douro. Como consequência, o ciclo vegetativo da vinha começou, em média, 15 dias mais tarde do que os anos anteriores. Por outro lado, o Inverno de 2012, que que registou baixas temperaturas, permitiu um crescimento adequado e equilibrado da vegetação. O período de maturação foi menos quente que o habitual e as temperaturas frescas durante a noite favoreceram a síntese das moléculas responsáveis pela cor.

Depois de uma fermentação lenta em barrica, este vinho estagiou em cuba, sem fermentação maloláctica, de forma a manter a acidez e frescura natural do vinho.

Notas de Prova

Com uma cor viva e cristalina, o Rosé 2012 apresenta de início um nariz reservado, abrindo mais tarde com aromas de fruta vermelha, alguma flor branca, notas de resina e uma tosta muito bem integrada. Na boca apresenta uma grande frescura e intensidade, com volume e estrutura bem equilibrados, mostrando a complexidade das vinhas velhas. É um rosé para se consumir novo, mas com potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

25 a 40 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Agosto/Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Julho de 2013

Estágio

6 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

17.5

Açúcar Residual (g/dm3)

2.4

Álcool (%)

13

pH

3.54

Acidez Total (g/dm3)

3.48

Acidez Volátil (g/dm3)

0.38

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

36

Produção

5.039 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro Rosé em 1999, tentando provar que um vinho de qualidade também pode ser rosé. Fermentado em barrica e proveniente de vinhas mais velhas, o Redoma é um rosé encorpado, mais adequado para ser bebido à mesa do que para uma tarde de Verão. Com a frescura de um branco e a complexidade e estrutura de um tinto, mostra uma perspectiva diferente do vinho rosé. A grande novidade desta edição é a sua cor clara, lembrando os rosés da região francesa de Provence.

Vinificação

A vindima de 2013 começou no dia 19 de Agosto, mais cedo do que o habitual, de forma a manter os níveis altos de acidez e evitar graus alcoólicos elevados. O ano foi mais produtivo, cerca de 25%, relativamente ao ano anterior. A decisão de começar a vindimar mais cedo, acabou por se revelar acertada, uma vez que as principais vinhas tinham sido já vindimadas antes de começar a chover intensamente a 27 de Setembro.

Provenientes de vinhas situadas perto da Quinta de Nápoles, as uvas do Redoma Rosé foram vindimadas nos dias 24 e 25 de Agosto. Depois de uma selecção criteriosa, foram prensadas rapidamente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e uma grande extracção de cor. O mosto fermentou em barricas de carvalho francês durante aproximadamente um mês, seguido-se um estágio em inox de 6 meses. Foi engarrafado no dia 31 de Março de 2014.

Notas de Prova

Cor salmão muito leve e brilhante, mostra um aroma intenso com notas de fruta vermelha e ervas frescas, aromas de especiarias e terra, com um fumado e notas minerais muito bem integrados. Boa acidez em perfeito equilíbrio com algumas notas tostadas, mostrando o seu potencial gastronómico. Grande frescura e intensidade, com volume e boa estrutura, muita fruta e um final de boca muito prolongado.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

Entre 30 e 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

24 e 25 Agosto

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Parcialmente realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Março 2014

Estágio

6 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

20.6

Açúcar Residual (g/dm3)

3.5

Álcool (%)

12

pH

3.33

Acidez Total (g/dm3)

4.66

Acidez Volátil (g/dm3)

0.4

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

11

SO2 Total (mg/dm3)

100

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9904

Produção

13.230 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro Rosé em 1999, tentando provar que um vinho de qualidade também pode ser rosé. Fermentado em barrica e proveniente de vinhas mais velhas, o Redoma é um rosé harmonioso, mais adequado para ser bebido à mesa do que para uma tarde de Verão. Com a frescura de um branco e a complexidade e estrutura de um tinto, mostra uma perspectiva diferente do vinho rosé. A grande novidade desta edição é a sua cor clara, lembrando os rosés da região francesa de Provence.

Vinificação

O ano vitícola de 2014 na Quinta de Nápoles caracterizou-se como um ano de menor quantidade mas de maior qualidade. Tudo indicava um ano precoce, devido à grande quantidade de água acumulada durante o Inverno e Primavera. A fase de maturação ocorreu precocemente e permitiu um começo de vindima em Agosto. Na Quinta de Nápoles vindimou-se a maioria das parcelas durante um período de bom tempo que se deu entre o dia 23 de Agosto e o dia 21 de Setembro.

Provenientes de vinhas situadas perto da Quinta de Nápoles, as uvas do Redoma Rosé foram vindimadas nos dias 2 e 3 de Setembro. Depois de uma selecção criteriosa, foram prensadas rapidamente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e uma grande extracção de cor. O mosto fermentou em barricas de carvalho francês de 228 l.

Foi engarrafado no dia 6 de Março de 2015.

Notas de Prova

De cor salmão muito leve e brilhante, mostra um aroma intenso com notas de fruta vermelha, flores brancas e especiarias. A tosta da barrica funde-se com um perfil mineral muito fresco. Na boca é fresco e delicado, com muita fruta fresca e boas notas vegetais. Muito gastronómico, com um bom equilíbrio entre a acidez e as notas fumadas. Final longo e persistente.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

Entre 30 e 60 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

24 e 25 Agosto

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Parcialmente realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

Março 2015

Estágio

6 meses em Inox

Extracto Seco (g/dm3)

18

Açúcar Residual (g/dm3)

2.6

Álcool (%)

12

pH

3.44

Acidez Total (g/dm3)

4.23

Acidez Volátil (g/dm3)

0.42

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

29

SO2 Total (mg/dm3)

75

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9891

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro Rosé em 1999, tentando provar que um vinho de qualidade também podia ser rosé. Fermentado em barrica e proveniente de vinhas velhas, o Redoma é um rosé harmonioso, mais adequado para ser bebido à mesa do que para uma tarde quente de Verão. Com a frescura de um branco e a complexidade e estrutura de um tinto, mostra uma perspectiva diferente do vinho rosé. A grande novidade desta edição é a sua cor clara, lembrando os rosés da região francesa de Provence.

Vinificação

As condições climáticas do ano vitícola 2015 foram muito favoráveis, com sol, calor e pouca humidade, permitindo um crescimento vegetativo homogéneo. Uma das particularidades deste ano foi a capacidade da vinha em manter-se hidratada durante a maturação. Em finais de Agosto, início de Setembro, as folhas basais mantinham-se verdes e húmidas, com os bagos hidratados e uma película grossa e firme. O equilíbrio dos mostos, a suavidade dos taninos e a intensa concentração de cor indicam que estamos perante um ano excepcional para Vinhos Doc Douro. Depois de uma selecção criteriosa, as uvas foram prensadas a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e uma grande extracção de cor. O mosto fermentou em barricas novas de carvalho francês, durante 6 meses. Foi engarrafado no dia 17 de Março de 2016.

Notas de Prova

Com uma tonalidade salmão leve e brilhante, o Redoma Rosé apresenta um aroma muito fino, com aromas de flores secas, frutos vermelhos e um perfil ligeiramente fumado. É fresco na boca, com presença e algum volume, mostrando que é um Rosé altamente gastronómico. As notas de fruta fresca e minerais estão em plena harmonia, proporcionando um final de boca muito longo e delicado.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro Cima Corgo

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

Entre 50 e 80 anos

Castas

30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não realizada

Fermentação

Barricas novas de carvalho francês

Engarrafado

18 de Março 2016

Estágio

6 meses em inox

Extracto Seco (g/dm3)

17.5

Açúcar Residual (g/dm3)

0.8

Álcool (%)

12.5

pH

3.38

Acidez Total (g/dm3)

4.5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.4

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

24

SO2 Total (mg/dm3)

70

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9884

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro Rosé em 1999, tentando mostrar que um vinho de qualidade também podia ser rosé. Fermentado em barrica e proveniente de vinhas velhas, o Redoma é um rosé harmonioso e muito gastronómico. Com a frescura de um branco e a complexidade e estrutura de um tinto, mostra uma perspectiva diferente de um Rosé.

Vinificação

O ano vitícola de 2016 caracterizou-se atípico, o Inverno foi quente e chuvoso, a Primavera fria e muito chuvosa e o Verão extremamente quente e seco. As condições do estado do tempo contribuíram para um abrolhamento precoce (cerca de duas semanas) verificando-se, no entanto, ao longo da Primavera, um atraso significativo do ciclo vegetativo, em especial do “Pintor”, que ocorreu com cerca de duas semanas de atraso. Provenientes de vinhas da Quinta de Nápoles e de outras situadas relativamente perto da Quinta, as uvas do Redoma Rosé foram vindimadas entre os dias 25 de Agosto e 12 de Setembro. Depois de uma selecção criteriosa, foram prensadas rapidamente a uma temperatura baixa, para evitar oxidações e uma grande extracção de cor. O mosto fermentou em barricas de carvalho francês novas, durante aproximadamente 2 meses, seguindo-se um estágio em inox de 7 meses. Foi engarrafado no dia 17 de Maio de 2017.

Notas de Prova

Com uma tonalidade salmão leve e brilhante, o Redoma Rosé apresenta um aroma austero, com aromas de flores secas, frutos vermelhos e um perfil ligeiramente fumado. Apresenta um aroma ligeiramente reduzido, é vibrante, altamente gastronómico e irá crescer em garrafa. É fresco na boca, com presença e algum volume. As notas de fruta fresca e minerais estão em plena harmonia, proporcionando um final de boca muito longo e delicado.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort Vinhos

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

50 a 80 anos

Castas

CASTAS - 30% Tinta Amarela, 20% Touriga Franca e 50% outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

não

Fermentação

FERMENTAÇÃO – Em barrica de carvalho francês

Engarrafado

17 maio 2017

Estágio

7 meses em inox

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

A Niepoort lançou o seu primeiro rosé em 1999, tentando mostrar que um vinho de qualidade também podia ser rosé. Fermentado em barrica e proveniente de vinhas velhas, o Redoma é um rosé harmonioso e muito gastronómico.

Com a frescura de um branco e a complexidade e estrutura de um tinto, mostra uma perspetiva diferente de um rosé.

Vinificação

O ano vitícola de 2017 ficou marcado por um Inverno seco, com níveis de precipitações muito inferiores à média dos últimos 30 anos. Seguiu-se uma Primavera quente e seca, com ondas de calor que se prolongaram até ao início do Verão. Com a subida das temperaturas médias e a ausência de precipitação, a videira evidenciou um avanço na fenologia de cerca de 15 dias, desde o abrolhamento até ao Pintor.

Esta situação manteve-se durante o Verão o que originou um início precoce de vindima, sendo particularmente intensa e de muito curta duração.

As uvas, com origem na Quinta de Nápoles e em outras parcelas próximas, foram vindimadas entre os dias 8 e 20 de Agosto. Após criteriosa seleção, foram brevemente prensadas a baixa temperatura, evitando assim oxidações e excessiva extração de cor.

Após 24 horas de decantação, o mosto fermentou em barricas novas de carvalho francês durante aproximadamente 2 meses, seguindo o vinho daí resultante para estágio de 7 meses em cubas de inox.

O engarrafamento teve lugar em Maio de 2018.

Notas de Prova

Com uma tonalidade salmão leve e brilhante, o Redoma Rosé apresenta um aroma muito fino, com aromas de flores secas, frutos vermelhos e um perfil ligeiramente tostado. Com boa presença na boca, seco, é um rosé altamente gastronómico e que irá crescer em garrafa. É fresco, com boa acidez algum volume. As notas de fruta fresca e minerais estão em plena harmonia, proporcionando um final de boca muito longo e delicado.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e outras pequenas vinhas velhas

Idade das Cepas

50 a 80 Anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

200-400

Período de Vindima

Agosto

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Não

Fermentação

Em barricas de carvalho francês

Engarrafado

Maio 2018

Estágio

7 meses em cubas de inox

Extracto Seco (g/dm3)

19

Açúcar Residual (g/dm3)

1.4

Álcool (%)

13

pH

3.25

Acidez Total (g/dm3)

5.5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.6

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

33

SO2 Total (mg/dm3)

130

Massa Volúmica (g/cm3)

0.99

Produção

27000gfs

Alergénios

Sulfitos

Sugestão de acompanhamento

Ostras, peixe no forno, aves e carnes brancas. Sugestões vegetarianas: pratos com tubérculos (nabo, batata doce, beterraba), salada César, pratos com queijo.

Garrafa

Caixa

15.1 23.4 × 6 7945 cardboard

Palette

120 80 × 8 Fiadas 100 Caixas