Redoma TintoRedoma Tinto

Em 1993, o Redoma 1991 foi o primeiro vinho tinto da Niepoort a ser lançado no mercado. Tal como o Douro, é um vinho de grande carácter e personalidade. É produzido a partir de diversas vinhas, na região de Cima Corgo, com mais de 60 anos, maioritariamente viradas a Norte, onde as diferentes castas se misturam na mesma vinha, tal como é comum na região e onde predominam a Tinta Amarela, Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinto Cão. Cheio e concentrado, de taninos presentes mas polidos, combina a austeridade e autenticidade de um Douro com carácter terroso e balsâmico, com a frescura característica dos vinhos Niepoort.

Vinificação

Após uma selecção rigorosa, as uvas foram desengaçadas e fermentadas em lagares de inox fechados e de baixa capacidade (7000l). O período de maceração decorreu entre 7 a 30 dias. Depois da fermentação, o vinho foi transferido para barricas (50% novas, François Frères), onde ficou durante 18 meses e onde realizou a fermentação maloláctica.

1999 foi um bom ano vintage no Douro, com o tempo quente no Verão, tal como nos outros anos. Daqui resultou um vinho concentrado, com um carácter rigoroso. As vinhas para este vinho são muito antigas, nas vertentes a Norte e a Este para manter uma certa frescura e elegância.

Notas de Prova

De cor rubi, o nariz apresenta um aroma muito intenso a frutos pretos. No palato, o vinho é poderoso, com grande riqueza e uma boa estrutura de taninos. No entanto, mostra mais frescura do que fruta pura. O final possui um toque austero e longo. Trata-se de um vinho com um excelente potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

300-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Lagares inox

Engarrafado

Junho 2001

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

33.8

Álcool (%)

14

pH

3.54

Acidez Total (g/dm3)

5.77

Acidez Volátil (g/dm3)

0.72

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

18

Produção

19.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma está cada vez mais elegante e polido. Muito trabalho e perseverança permitiram domesticar este tinto selvagem, produzido num ano fantástico. O resultado materializa-se neste grande vinho do Douro. Para Dirk Niepoort “o Redoma continua a reflectir bem o Douro no seu intenso e rigoroso carácter”.

Vinificação

A vindima de 2000 foi pouco problemática, ao contrário da anterior: “Não choveu, não surgiram doenças na vinha e a qualidade foi muito boa”, tendo a produção sido baixa, com uvas com grande concentração, “muita casca e pouco sumo”.

As uvas foram apanhadas e transportadas para a adega, onde foram vinificadas em cubas de inox com macerações prolongadas. Terminado o processo, o vinho foi transferido para barricas de carvalho francês François Frères, onde permaneceu dezoito meses. Em Julho de 2002 foi engarrafado.

O Redoma 2000 tem um perfil um pouco diferente do anterior. “É menos bruto e mais frutado devido ao ano, no entanto, não deixa de ser um típico Redoma: um Douro encorpado e concentrado, com um belo equilíbrio entre a potência e fineza”. Desde o engarrafamento “que se mostra muito bem, não tendo passado por fases difíceis. É um tinto dum ano estupendo que promete envelhecer muito bem”.

Notas de Prova

Atraente cor rubi carregada. Nariz muito aromático e expressivo. Boa estrutura e concentração, com taninos bonitos e macios e de grande qualidade. Um vinho cheio de força mas domado por uma elegância cativante. Delicioso!

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

Mais de 60 anos

Castas

Principalmente Tinta Amarela, Touriga Franca e Tinta Roriz

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

100-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Caixas

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cuba inox

Engarrafado

Junho 2002

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês com madeira 50% nova

Extracto Seco (g/dm3)

34.1

Açúcar Residual (g/dm3)

1.5

Álcool (%)

13.5

pH

3.53

Acidez Total (g/dm3)

5.7

Acidez Volátil (g/dm3)

0.56

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

35

Produção

10.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma tinto reflecte bem o Douro no seu intenso e rigoroso carácter. O vinho é proveniente de diversas vinhas velhas, com castas misturadas (Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão), situadas na zona do Pinhão a altitudes entre os 80 a 300 metros.

Vinificação

A vindima de 2001 ocorreu na segunda quinzena de Setembro e início de Outubro. As uvas foram transportadas para a adega em pequenas caixas, onde foram rigorosamente seleccionadas em "mesa de escolha", no momento da recepção. Posteriormente foram totalmente desengaçadas e vinificadas, uma parte em lagares de granito e outra em lagares de inox; curtimenta com 10 dias de maceração, com pisa a pé e por robots pisantes.

O estágio ocorreu ao longo de 14 meses em barricas de carvalho francês, em armazém com temperatura controlada. Em Dezembro 2003 foram engarrafadas 20.400 garrafas, tendo posteriormente permanecido 6 meses nas caves de Vila Nova de Gaia.

Notas de Prova

Atraente cor rubi carregada. Nariz muito aromático e expressivo. Boa estrutura e concentração, com taninos bonitos e macios e de grande qualidade. Um vinho cheio de força mas domado por uma elegância cativante.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Touriga Nacional, Tinta Amarela e Tinto Cão

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

300-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Lagar e cubas inox

Engarrafado

Dezembro de 2003

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês com 70% de madeira nova

Extracto Seco (g/dm3)

33.4

Álcool (%)

13.5

pH

3.54

Acidez Total (g/dm3)

5.93

Acidez Volátil (g/dm3)

0.63

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

39

Produção

20.400 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma Tinto 2002, tal como os anteriores, reflecte bem o Douro no seu intenso e rigoroso carácter. O Redoma Tinto é proveniente de diversas vinhas com mais de 60 anos, com castas misturadas, onde predomina a Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão, situadas no vale do rio Pinhão e na zona de Covas com altitudes compreendidas entre os 100 a 300 metros.

Vinificação

A vindima de 2002 decorreu com chuva, no entanto, procurou-se vindimar mais cedo antes das primeiras chuvas nas vinhas viradas a Sul e nas cotas mais baixas, com o objectivo de conseguir uvas sãs e com boa maturação. As uvas foram rigorosamente seleccionadas em mesa de escolha, aquando da recepção. A vinificação, após desengace total, foi feita em lagar de pedra com pisa a pé e em cubas de inox com sistema de pisa hidráulico. As macerações duraram, em média, 10 dias. O estágio ocorreu ao longo de 16 meses em barricas de carvalho francês, em armazém com temperatura controlada.

Notas de Prova

A cor é rubi denso. Nariz muito aromático e expressivo, frutado e especiado. Boa estrutura e concentração, com taninos presentes mas macios e de grande qualidade. Um vinho com concentração mas fresco, cheio de força e domado por uma elegância e subtileza cativantes.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Diversas vinhas velhas com mistura de castas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

300-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Lagares inox

Engarrafado

Junho 2004

Estágio

16 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

32.8

Álcool (%)

13

pH

3.56

Acidez Total (g/dm3)

6.45

Acidez Volátil (g/dm3)

0.62

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

39

Produção

20.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma é como o Douro: “Extremo e com um carácter rigoroso”, um vinho cheio de mineralidade, com uma grande estrutura, taninos finos e muito persistentes. É produzido a partir de várias vinhas situadas na região do Cima Corgo. Estas vinhas, com mais de 60 anos, encontram-se plantadas com mais de 30 castas diferentes, onde predominam a Touriga Franca e a Tinta Roriz.

Vinificação

2003 foi um ano quente e seco no Douro. A maturação total das uvas foi atingida desde cedo; para o Redoma utilizámos vinhas viradas a Norte e a Este para manter uma determinada frescura, e procedemos a uma selecção criteriosa para retirar as uvas sobremaduras.

As uvas foram desengaçadas e uma parte fermentou em depósitos de inox de baixa capacidade; a outra parte fermentou em lagares de pedra tradicionais. Após a fermentação, o vinho foi transferido para barricas (50% para barricas novas, François Frères), onde ficou 18 meses e realizou a fermentação maloláctica. Como resultado, obtivemos um vinho poderoso e concentrado e, ao mesmo tempo, fresco e elegante.

Notas de Prova

Trata-se de um vinho escuro com um nariz muito intenso de fruta preta. No palato, apresenta-se jovem e poderoso, com grande riqueza e taninos encorpados mas, ao mesmo tempo, apresenta maior juventude do que fruta pura. Com um final muito longo.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox

Engarrafado

Junho 2005

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

31.38

Álcool (%)

14

pH

3.52

Acidez Total (g/dm3)

6.6

Acidez Volátil (g/dm3)

0.64

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

30

Produção

17.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma é como o Douro, impressionante na sua natureza, com grande carácter e personalidade. Um vinho de grande estrutura com taninos presentes mas finos, com aromas especiados e balsâmicos que nos fazem lembrar a vegetação natural do Douro. Produzido a partir de diversas vinhas na região do Cima Corgo, com mais de 60 anos, maioritariamente viradas a norte, onde as diferentes castas estão plantadas na mesma vinha, tal como era comum na região e onde predominam a Touriga Franca e Tinta Roriz, mas onde podemos também encontrar outras castas menos conhecidas como a Tinta Francisca e o Sousão ou Tinta Amarela. O Redoma 2004 é um vinho que impressiona pelo seu carácter e personalidade, com todos os atributos para ser um grande embaixador do Douro.

Vinificação

O ano de 2004 foi bastante quente e seco, no entanto as chuvas ocorridas em Agosto permitiram uma maturação equilibrada. Como resultado, temos vinhos bem balanceados com uma boa maturação fenólica, sem teores alcoólicos excessivos.

A vindima decorreu durante a segunda e terceira semana de Setembro para pequenas caixas de 20kg. Após uma selecção na vinha, foi efectuada uma segunda selecção na mesa de escolha, tendo-se retirado todas as uvas que não estavam em perfeito estado sanitário e no ponto ideal de maturação. Após desengace total, 50% da fermentação decorreu em lagares tradicionais com ligeira pisa a pé, com macerações de 8 a 10 dias, enquanto os restantes 50 % fermentaram em inox com macerações superiores a 15 dias. O vinho estagiou durante 18 meses em barricas de carvalho francês onde ocorreu a fermentação malolática.

Notas de Prova

Cor rubi muito carregada, com notas de frutos pretos e vermelhos, especiado com notas de esteva. Terroso, envolvido no seu conjunto por fumado discreto e elegante que não se sobrepôe ao conjunto. Na boca, é vibrante com uma estrutura muito bem definida, pleno de fruta e mineralidade. Os taninos encontram-se presentes mas de forma suave e envolvente. Muito longo e persistente, com grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinta Francisca e Sousão

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox

Engarrafado

Julho 2006

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

33.7

Álcool (%)

14

pH

3.59

Acidez Total (g/dm3)

5.65

Acidez Volátil (g/dm3)

0.62

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

31

Produção

18.300 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma é como o Douro, com grande carácter e personalidade. Um vinho de grande estrutura com taninos presentes, mas finos e persistentes. O Redoma é produzido a partir de diversas vinhas, na região do Cima Corgo, com mais de 60 anos, maioritariamente viradas a Norte, onde as diferentes castas estão plantadas na mesma vinha, tal como era comum na região e onde predominam a Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão. O Redoma 2005 é um vinho que impressiona pelo seu carácter e personalidade, com todos os atributos para ser um grande embaixador do Douro.

Vinificação

2005 foi um ano quente e seco na região do Douro. Com o Verão quente, muitas vinhas viradas a Sul pararam a sua maturação, no entanto, as chuvas ligeiras ocorridas no início de Setembro permitiram uma maturação completa com bons níveis de acidez.

A vindima ocorreu na segunda metade de Setembro, para pequenas caixas de 20kg. Após selecção na vinha, todas as uvas sobremaduras foram retiradas na adega. Após desengace total, 50% das uvas fermentaram em lagar de pedra com suave pisa a pé e a outra metade fermentou em cubas inox com macerações superiores a 15 dias. O vinho estagiou em barricas de carvalho francês durante 18 meses, onde realizou a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Cor rubi muito carregada com aromas terrosos e especiados, notas de frutos de baga pretos e vermelhos, com notas de esteva, pleno do carácter de um Douro. Envolvido no seu conjunto por um fumado discreto e elegante que não se sobrepõe ao conjunto. Na boca é vibrante, com uma estrutura muito bem definida, pleno de fruta e mineralidade. Os taninos encontram-se presentes, mas de forma suave e envolvente. Muito longo e persistente com grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox com pisagem automática e lagares

Engarrafado

Agosto de 2007

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

28.6

Álcool (%)

13

pH

3.69

Acidez Total (g/dm3)

5.11

Acidez Volátil (g/dm3)

0.58

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

28

Produção

25.000 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma foi o primeiro vinho DOC Douro produzido pela Niepoort. Ele é o que melhor representa o carácter selvagem do douro e das suas vinhas. Um vinho estruturado, de cor fechada cheio de complexidade e personalidade, onde predominam os aromas balsâmicos característicos da vegetação local, bem como os aromas a terra. Sempre com grande potencial de envelhecimento o vinho cresce lentamente na garrafa tal como os vinhedos nas encostas do Douro. As vinhas que lhe dão origem estão situadas no coração da região demarcada do Douro, vinhas com mais de 60 anos na sua maioria expostas a Este e Norte onde se consegue o melhor de dois mundos a concentração e estrutura das vinhas velhas mas também a sua frescura e elegância. A mistura de castas nas diferentes vinhas inclui não só as habituais Touriga Franca e Tinta Roriz, mas também uma quantidade importante de Tinta Amarela, Sousão e Tinto Cão, entre outras. O Redoma é o nosso maior embaixador do Douro.

Vinificação

O ano de 2006 começou com uma importante e cada vez menos habitual quantidade de água no solo que foi mantida ao longo do ano vitícola com a ajuda de uma Primavera relativamente húmida e não muito quente. As chuvas ligeiras ocorridas em meados de Agosto teriam sido perfeitas para atingir uma maturação equilibrada e sem excessos. No entanto, as altas temperaturas sentidas na última semana de Agosto e nas duas primeiras semanas de Setembro forçaram uma antecipação da vindima para as primeiras três semanas de Setembro. Parte da vinificação foi feita em lagar de pedra com desengace total e cerca de 10 dias de maceração. O restante fermentou em cubas de inox com macerações nunca superiores a 30 dias e 80% do vinho estagiou em barricas de carvalho francês durante 20 meses. Os restantes 20% passaram também por um estágio de 20 meses, mas em tonéis de 2000 litros de madeira usada.

Notas de Prova

O Redoma, em 2006, mostra-se mais elegante do que o habitual, provavelmente por terem sido utilizados no lote final alguns dos vinhos que seriam destinados ao Batuta. Cor carregada, mas sem excessos, aromas de fruta preta e vermelha macerada, ameixa preta típica dos vinhos durienses, e notas balsâmicas e de pimentas contribuem para a complexidade do aroma. Na boca, apesar do ano, a acidez é vibrante, com uma grande estrutura de taninos que não mostram qualquer aresta. A fruta está bem presente, mas envolvida por um forte carácter mineral típico do Redoma. Muito longo e persistente, este Redoma mostra um grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox com pisagem automática e lagares

Engarrafado

Junho 2008

Estágio

20 meses em barricas de 228l (80%) e tonéis de 2000l (20%)

Extracto Seco (g/dm3)

29.9

Álcool (%)

14

pH

3.64

Acidez Total (g/dm3)

5.15

Acidez Volátil (g/dm3)

0.68

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

28

Produção

26.413 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma é como o Douro, com grande carácter e personalidade. Um vinho de grande estrutura com taninos presentes, mas finos e persistentes. O Redoma é produzido a partir de diversas vinhas na região do Cima Corgo com mais de 60 anos maioritariamente viradas a Norte, onde as diferentes castas estão plantadas na mesma vinha tal como era comum na região e onde predominam a Tinta Amarela, Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinto Cão. O Redoma 2007 é um vinho que impressiona pelo seu carácter e personalidade, e mostra um ano de excelência no Douro.

Vinificação

2007 foi um ano com condições excelentes para a obtenção de grandes vinhos. As precipitações ocorridas em fim de Primavera e início de Verão permitiram manter bons teores de humidade no solo durante todo o processo de maturação. As baixas produções verificadas deram origem a vinhos com concentração, mas frescos e elegantes com boa acidez. A vindima ocorreu em Setembro, após criteriosa escolha, tanto na vinha como na adega as uvas foram totalmente desengaçadas e fermentadas em pequenas cubas inox com macerações alargadas e em lagares de pedra com pisa a pé. O vinho estagiou durante 22 meses 60% em barricas de carvalho francês e 40% em tonéis de 2000 litros, onde se realizou a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Cor carregada com aromas de fruta preta macerada, ameixa preta, notas de especiarias com predominância da pimenta preta. Balsâmico e terroso, aroma mineral a pedra molhada e pleno de carácter do Douro. Na boca é vivo e elegante com estrutura muito bem definida, presente longo e complexo, conjugando concentração e frescura com grande harmonia termina muito persistente. Grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100-400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas/Tonéis 2000l

Fermentação

Cubas de inox e lagares de pedra (automática e lagares)

Engarrafado

Julho 2009

Estágio

22 meses em barricas (228l) e tonéis de 2000l

Extracto Seco (g/dm3)

27.4

Álcool (%)

13

pH

3.6

Acidez Total (g/dm3)

5.13

Acidez Volátil (g/dm3)

0.64

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

22

Produção

30.940 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma é como o Douro, com grande carácter e personalidade. Um vinho de grande estrutura com taninos presentes, mas finos e persistentes. Este vinho é produzido a partir de diversas vinhas na região do Cima Corgo, com mais de 60 anos, maioritariamente viradas a Norte, onde as diferentes castas estão plantadas na mesma vinha, tal como era comum na região, e onde predominam a Tinta Amarela, Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinto Cão. O Redoma 2008 é um vinho cheio de carácter, com a concentração do Douro e a frescura característica do ano 2008.

Vinificação

O ano de 2008 foi excelente na região do Douro, as chuvas ocorridas durante a Primavera e início do Verão permitiram manter os níveis de humidade no solo até ao momento da vindima. Por outro lado, as baixas produtividades verificadas, resultantes de uma fraca nascença e de uma sofrida floração com elevados teores de humidade deram origem a mostos muito equilibrados, com boa acidez e teores de açúcares, nada excessivos.

A vindima ocorreu em Setembro e após criteriosa escolha, tanto na vinha como na adega, as uvas foram totalmente desengaçadas e fermentadas em pequenas cubas de inox, com macerações alargadas, e em lagares de pedra, com pisa a pé. O vinho estagiou durante 20 meses em barricas de carvalho francês, onde se realizou a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Cor carregada. Aromas muito complexos e subtis: ameixa preta, notas de especiarias, com predominância da pimenta preta, balsâmico como a vegetação duriense, terroso e com aroma mineral a pedra molhada. Pleno de carácter do Douro. Na boca é vivo e elegante, com estrutura muito bem definida, longo e complexo, conjugando concentração e frescura em grande harmonia. Termina muito persistente. Grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100–400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox com pisagem automática e lagares com pisa a pé

Engarrafado

Julho 2010

Estágio

20 meses em barricas de carvalho francês (228l)

Extracto Seco (g/dm3)

19.8

Álcool (%)

13

pH

3.19

Acidez Total (g/dm3)

5.72

Acidez Volátil (g/dm3)

0.45

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

28

Produção

13.847 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma expressa o que nós consideramos ser o carácter do Douro: os taninos pronunciados representam o seu lado mais selvagem e indomável, com as vinhas de encostas pronunciadas; o carácter forte, resulta da viticultura dura da região, as notas minerais expressam os solos de xisto e os aromas ricos e intensos, os dias quentes de Verão. Redoma foi o primeiro vinho DOC Douro produzido pela Niepoort em 1991. 20 anos depois muitas coisas mudaram no Douro, mas o Redoma mantém o seu carácter. Produzido a partir de diversas vinhas viradas a Norte com mais de 60 anos, localizadas na região do Cima Corgo, a mistura de castas inclui Tinta Amarela, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão e muitas outras.

Vinificação

2009 foi um ano muito fresco, até ao início de Agosto. Uma boa quantidade de água no solo e um Verão bastante mais fresco do que é habitual no Douro deixavam antever um período de maturação prolongado e uma vindima facilitada. No entanto, as altas temperaturas que se fizeram sentir a partir do dia 12 de Agosto aceleraram o processo de maturação. A vindima começou mais cedo, no início do mês de Setembro.

Depois de uma selecção cuidadosa quer na vinha quer na Adega, a fermentação decorreu em pequenas cubas de inox, com macerações prolongadas, e nos tradicionais lagares de pedra, onde as uvas foram suavemente pisadas. Em alguns vinhos, parte dos engaços foram utilizados para dar frescura.

60% do vinho estagiou em barricas de carvalho francês e 40% em tonéis de 2000l, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Carregado na cor, apresenta aromas de frutos pretos e vermelhos com notas de ameixa e cereja. Balsâmico, com notas herbáceas que lembram os arbustos da flora mediterrânica, mostra um forte carácter mineral com aromas, de pedra molhada e terra, muito rico e complexo. Na boca é firme, com taninos presentes, suportados por uma boa acidez que complementa uma grande estrutura. Concentrado, mantém a frescura e a elegância. Termina muito longo, sem arestas. Grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 120 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Tinta Roriz e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100–400

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Pequenas cubas de inox e lagares de granito

Engarrafado

Agosto 2011

Estágio

21 meses em carvalho francês, 228l e 2000l

Extracto Seco (g/dm3)

28.9

Açúcar Residual (g/dm3)

2.3

Álcool (%)

14

pH

3.62

Acidez Total (g/dm3)

5.27

Acidez Volátil (g/dm3)

0.75

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

19

Produção

18.500 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

Com o Redoma tentamos, todos os anos, expressar o que consideramos ser o carácter do Douro. Os taninos pronunciados representam o lado mais selvagem e indomável da região, com as suas vinhas de encostas pronunciadas. O seu forte carácter resulta de uma viticultura de montanha, as notas minerais expressam os solos de xisto da região e os aromas ricos e intensos lembram-nos os dias quentes de Verão no Douro. O Redoma foi o primeiro vinho DOC Douro produzido pela Niepoort em 1991 e, 21 anos depois, muitas coisas mudaram no Douro, mas o Redoma mantém o seu carácter.

Produzido a partir de diversas vinhas viradas a norte com mais de 60 anos, localizadas na região do Cima Corgo, a mistura nas diferentes vinhas inclui Tinta Amarela, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão.

Vinificação

2010 foi um ano extraordinariamente húmido, durante o Inverno e início da Primavera, com chuvas muito fortes. Em consequência disso, a vindima foi abundante, mas o ano vitícola muito pressionado pelas doenças da vinha. O período de maturação foi quente e seco; no entanto, as chuvas ligeiras do início de Setembro ajudaram, especialmente as vinhas mais velhas plantadas em altitude, a terminarem a sua maturação de uma forma mais equilibrada. A vindima foi feita no início de Setembro.

Depois de uma selecção cuidadosa quer na vinha quer na adega, a fermentação decorreu em pequenas cubas de inox, com macerações prolongadas, e nos tradicionais lagares de pedra, onde as uvas foram suavemente pisadas. Em alguns vinhos, 20% a 50% dos engaços foram utilizados para dar frescura. 70% do vinho estagiou em barricas de carvalho francês e 30% em tonéis de 2000l, onde decorreu a fermentação maloláctica.

Notas de Prova

Muito fechado na cor, apresenta notas intensas de fruta fresca. Balsâmico, com notas herbáceas que lembram os arbustos da flora mediterrânica, mostra um forte carácter mineral com aromas de pedra molhada e terra, muito rico e complexo, com algumas notas de engaço. Na boca é irreverente e muito complexo, com taninos presentes mas muito bem integrados, que combinam com uma acidez refrescante. Fim de boca muito persistente, com grande presença, e um grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Várias vinhas velhas

Idade das Cepas

60 a 90 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Tinta Roriz e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

100-450

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Pequenas cubas de inox e lagares de granito

Engarrafado

Agosto 2012

Estágio

22 meses em carvalho francês, 228l e 2000l

Extracto Seco (g/dm3)

28.1

Álcool (%)

13.5

pH

3.6

Acidez Total (g/dm3)

5.1

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

18

Produção

28.493 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Douro, selvagem, rendilhado com vinhas criadas pelo Homem, é um património único. O Redoma, criado em 1991, primeiro vinho tinto da Niepoort, tem como principal missão reflectir tanto a beleza como a dureza do Vale do Douro. É um vinho que, respeitando as especificidades de cada ano, apresenta sempre algumas arestas, mostrando-se ligeiramente rústico, devido à utilização de engaço na sua vinificação e a um estágio prolongado em balseiro.

Vinificação

O ano de 2011 caracterizou-se por uma floração muito precoce e todo o ciclo vegetativo foi antecipado com a vindima a iniciar-se muito mais cedo do que é habitual. No entanto, as vinhas plantadas a altitudes mais elevadas tiveram uma maturação mais lenta e os vinhos acabaram por apresentar graus alcoólicos moderados e bons teores de ácido tartárico e málico. As uvas do Redoma Tinto 2011 são provenientes de vinhas velhas próximas da Quinta de Nápoles. Depois de uma selecção criteriosa à entrada da adega, as uvas foram vinificadas com 30% de engaço, em lagar de granito e pisadas a pé. O Redoma 2011 envelheceu durante 27 meses. Nos primeiros 12 meses estagiou em barricas usadas de carvalho francês onde a fermentação maloláctica decorreu, nos restantes, em balseiros de madeira de grande capacidade. Foram engarrafadas 16.632 garrafas em Dezembro de 2013.

Notas de Prova

O Redoma apresenta-se com um aroma muito fresco e balsâmico. Profundo, concentrado, mostra um lado austero do Douro, com notas vegetais e algum engaço. Complexo, multidimensional: por um lado, o terroir, o xisto, o frio do Inverno sente-se na boca, por outro lado é apimentado e apresenta notas de especiarias a reflectir o calor dos meses quentes do Verão no Douro. É vibrante, com os taninos um pouco rústicos, integrados numa acidez refrescante. O final é longo, mineral e extremamente elegante. Um vinho com um grande potencial de guarda e com muito carácter.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e vinhas velhas próximas

Idade das Cepas

Mais de 70 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

4000-6500

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

150-500

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Lagares de granito

Engarrafado

Dezembro 2013

Estágio

12 meses em barricas usadas de carvalho francês (228l) seguido de 15 meses em balseiro

Extracto Seco (g/dm3)

26.6

Açúcar Residual (g/dm3)

2.1

Álcool (%)

13.5

pH

3.54

Acidez Total (g/dm3)

5.2

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

20

Produção

16.632 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Douro, selvagem, rendilhado com vinhas criadas pelo Homem, é um património único. O Redoma, criado em 1991, primeiro vinho tinto da Niepoort, tem como principal missão reflectir tanto a beleza como a dureza do Vale do Douro. É um vinho que, respeitando as especificidades de cada ano, apresenta sempre algumas arestas, mostrando-se ligeiramente rústico, devido à utilização de engaço na sua vinificação e a um estágio prolongado em balseiro.

Vinificação

A vindima de 2013 começou no dia 19 de Agosto, mais cedo do que o habitual, de forma a manter os níveis altos de acidez e evitar graus alcoólicos elevados. O ano foi mais produtivo, cerca de 25%, relativamente ao ano anterior. A decisão de começar a vindimar mais cedo, acabou por se revelar acertada, uma vez que as principais vinhas tinham sido vindimadas antes de começar a chover intensamente a 27 de Setembro.

As uvas do Redoma Tinto 2013 são provenientes de vinhas velhas próximas da Quinta de Nápoles. Depois de uma selecção criteriosa à entrada da adega, as uvas foram vinificadas com 50% de engaço, em lagar de granito e pisadas a pé. O Redoma 2013, ao contrário dos Redomas precedentes, fez a fermentação maloláctica e estagiou em tonéis de madeiras antigas. Foram engarrafadas 15. 476 garrafas no dia 29 de Julho.

Notas de Prova

Mais ligeiro na cor que o habitual, resultante de uma vinificação mais delicada, com menos extracção, o Redoma Tinto 2013 apresenta-se com um aroma de frutos vermelhos e balsâmicos. Notas típicas de ameixa e de esteva revelam um Douro clássico. Profundo e austero nas notas minerais e um leve vegetal proveniente do engaço. Complexo, multidimensional, com muitas camadas por descobrir. De bom volume na boca, estrutura firme e compacta, com os taninos muito bem recortados. Num ano equilibrado como 2013, conseguimos uma excelente harmonia entre a potência e a elegância, entre fruta e acidez. O final é longo, mineral e extremamente elegante. Um vinho com um grande potencial de guarda e com muito carácter.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e vinhas velhas próximas

Idade das Cepas

Mais de 70 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

4000-6500

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

150-500

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Tonel

Fermentação

Lagares de granito

Engarrafado

29 de Julho de 2015

Estágio

22 meses em tonéis de madeira antiga

Extracto Seco (g/dm3)

26.6

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

13.5

pH

3.66

Acidez Total (g/dm3)

4.9

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

27

SO2 Total (mg/dm3)

78

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9911

Produção

15.476 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Douro selvagem, rendilhado de vinhas criadas pelo Homem, património mundial da Humanidade é local único e muito especial para fazer grandes vinhos. O Redoma tinto tem como principal missão reflectir tanto a beleza como a dureza do Vale do Douro. Em 2014 produziu-se um vinho mais elegante que as edições anteriores, com menos extracção, devido à utilização de engaço na sua vinificação e a um estágio prolongado num único balseiro.

Vinificação

A colheita de 2014 foi ligeiramente inferior em produção relativamente a 2013, mas acabou por ser compensada pela qualidade. A vindima, começou no início de Setembro, como habitualmente, com o objectivo de se manter os níveis de acidez, equilíbrio e frescura dos vinhos. Tal como no ano anterior, o início precoce evitou a sobre maturação de algumas vinhas mais expostas e a chuva no final do mês.

As uvas do Redoma Tinto 2014, provenientes de vinhas velhas próximas da Quinta de Nápoles, foram selecionadas à entrada da adega e vinificadas com 50% de engaço, em lagar de granito com pisa a pé. Desde a colheita de 2013, que o Redoma Tinto faz a fermentação maloláctica e estagia exclusivamente em tonéis de madeira antiga.

Notas de Prova

Mais leve na cor que o ano anterior, resultante de um ano mais fresco e equilibrado no Douro, o Redoma Tinto 2014 apresenta-se com um aroma de frutos vermelhos frescos, algumas notas de especiarias e ligeiro perfume floral. As notas típicas de ameixa preta e de esteva revelam um Douro clássico. Profundo e austero nas notas minerais, apresenta um leve vegetal proveniente do engaço. É complexo, com uma estrutura firme e compacta e com os taninos muito bem recortados. Um Redoma tinto ímpar, com uma acidez notável, delicada e muito fresca. O final é longo, mineral e extremamente elegante. Um vinho com um grande potencial de guarda e com muito carácter.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta de Nápoles e vinhas velhas próximas

Idade das Cepas

Mais de 70 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

4000-6500

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

150-500

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Tonel

Fermentação

Lagares de granito

Engarrafado

Julho de 2015

Estágio

22 meses em tonéis de madeira antiga

Extracto Seco (g/dm3)

27.6

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12.5

pH

3.7

Acidez Total (g/dm3)

4.8

Acidez Volátil (g/dm3)

0.6

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

33

SO2 Total (mg/dm3)

99

Massa Volúmica (g/cm3)

0.9921

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma tinto tem tido como missão reflectir tanto a beleza como a dureza do Vale do Douro. Em 2015, continuámos a produzir vinhos mais leves e elegantes, com menos cor, que as edições anteriores, e com menos extracção, devido à utilização de engaço na sua vinificação e a um estágio prolongado em balseiro. As uvas do Redoma Tinto 2015 são provenientes de vinhas velhas da margem esquerda do rio Douro.

Vinificação

O ano vitícola de 2014/2015 caracterizou-se por um inverno frio e muito seco, com um recorde mínimo de precipitação quando comparado com os anos anteriores. A primavera e o verão foram secos e quentes, com três vagas de calor em junho e julho, antes de um mês de agosto mais fresco - a baixa humidade permitiu que a incidência de doenças atingisse um mínimo histórico e, como consequência, que as vinhas originassem bagos magníficos, extremamente limpos. O equilíbrio dos mostos, a suavidade dos taninos e a intensidade de cor indicam que estamos perante um ano excepcional para Vinhos Doc Douro.

Depois de uma selecção criteriosa à entrada da adega, as uvas foram vinificadas com 100% de engaço, em lagar de granito e pisadas a pé. O Redoma 2015, fez a fermentação malolactica e estagiou durante 22 meses em toneis antigos. Foram engarrafadas 18.732 garrafas em Julho de 2017.

Notas de Prova

O Redoma Tinto mostra um aroma muito austero e cheio de personalidade. Profundamente mineral e complexo, é muito expressivo nas notas de fruta silvestre e florais, tudo em plena harmonia com o aroma de especiarias e ligeira tosta do estágio em tonel. Embora muito jovem, está muito integrado e concentrado na boca, com uma frescura muito presente. As notas de engaço, fundamentais para a austeridade e frescura num Douro clássico, suportam a enorme estrutura e volume de boca, proporcionando um final muito longo, fino, e com acidez bem presente. Num ano como 2015, em que a concentração e a acidez são notáveis, estamos certos que irá evoluir muito bem em garrafa.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort Vinhos SA

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Vinhas velhas da margem esquerda do rio Douro

Idade das Cepas

Mais de 70 anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

4000-6500

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

150-500

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Sim

Fermentação

Lagares de granito

Engarrafado

Julho de 2017

Estágio

22 Meses em toneis de madeira antiga.

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12

pH

3.66

Acidez Total (g/dm3)

4.9

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

40

SO2 Total (mg/dm3)

92

Produção

18732 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos condimentados, por exemplo, com cogumelos.

O Redoma tinto tem tido como missão refletir tanto a beleza como a dureza do Vale do Douro. Em 2016, continuámos a produzir vinhos mais leves e elegantes, com menos cor, que as edições anteriores, e com menos extração, devido à utilização de engaço na sua vinificação e a um estágio prolongado em balseiro. As uvas do Redoma Tinto 2016 são provenientes de vinhas velhas da margem esquerda do rio Douro.

Vinificação

2016 ficou marcado por uma Primavera fria e chuvosa – com inevitável impacto no ritmo de crescimento e desenvolvimento vegetativo das plantas – a que se seguiu um Verão extremamente seco e com marcadas amplitudes térmicas diurnas e noturnas.

A vindima concentrou-se no final de Agosto, naquele que pode ser considerado como um ano perfeito para o Redoma, dada a excelente qualidade das uvas na região, bem como as suas boas características de acidez e salubridade.

Sem qualquer seleção particular, as uvas, com 100% de engaço, foram depositadas em lagar de inox com pisadores automáticos, num processo com uma curta maceração.

Concluída esta fase do processo, o vinho iniciou a sua fermentação maloláctica em toneis de madeira antiga, permanecendo em estágio durante cerca de 20 meses.

O engarrafamento teve lugar em Junho de 2018.

Notas de Prova

Com uma bonita cor violeta de boa concentração, o Redoma Tinto 2016 mantém um perfil aromático austero e pleno de carácter. Complexo e profundo nas notas de especiarias, algum vegetal muito típico da Tinta Amarela. O aroma é expressivo, oferece também um perfume floral em boa harmonia com notas minerais. Com presença e bom volume de boca, torna-se elegante graças à acidez firme e às boas nota de engaço. Embora jovem, na prova de boca demonstra já uma precisão e equilíbrio notável, conseguido no longo estágio em tonel. Final muito longo e persistente. Irá envelhecer muito bem.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S.A

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Vinhas velhas da margem esquerda do rio Douro

Idade das Cepas

Mais de 70 Anos

Castas

Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz, Tinto Cão

Densidade por HA

4000-6500

Condução das Vinhas

Guyot e Royat

Altura do Mar

150-500

Período de Vindima

Agosto e Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Sim

Fermentação

Lagares

Engarrafado

Junho 2018

Estágio

20 Meses em toneis de madeira antiga.

Extracto Seco (g/dm3)

26.1

Açúcar Residual (g/dm3)

0.6

Álcool (%)

12

pH

3.64

Acidez Total (g/dm3)

4.9

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

26

SO2 Total (mg/dm3)

83

Massa Volúmica (g/cm3)

0.99

Produção

21500gfs

Alergénios

Sulfitos

Sugestão de acompanhamento

Pratos condimentados, bife pimenta, carnes vermelhas, caça. Sugestões vegetarianas: Pratos com cogumelos.

Garrafa

Caixa

19 26.5 × 6 9893 wood

Palette

120 80 × 8 Fiadas 80 Caixas