RobustusRobustus

O nome Robustus presta homenagem ao primeiro vinho de Dirk Niepoort, o Robustus 1990, que nunca chegou a ser comercializado. Desde 2004 que o Robustus tem sido vinificado de acordo com os métodos usados na produção de vinhos tradicionais. O longo estágio em tonel de madeira velha imprime maturidade, complexidade, amacia os taninos e confere ao vinho uma precisão e um equilíbrio únicos, sem perder todo o vigor e a frescura aromática. Actualmente, o Robustus provém das nossas vinhas mais velhas, viradas a norte, onde a acidez e a estrutura tânica são elevadas. O Robustus é um hino ao património do Douro, pois numa região extremamente quente, a diversidade de terroirs e a sabedoria intrínseca da vinha velha oferecem-nos vinhos frescos e de longa guarda.

Vinificação

2004 Foi um ano extremamente seco que condicionou desde de cedo o tamanho do bago. No entanto, a chuva que caiu em meados de Agosto permitiu uma maturação muito equilibrada, com taninos maduros e sem excessos no teor de açúcares dos mostos, principalmente nas vinhas mais altas e menos expostas. Na verdade, a vinificação não foi feita a pensar no Robustus, e neste lote encontram-se vinhos fermentados com macerações mais longas mas também uma pequena percentagem em lagar. Foi depois de 18 meses de estágio em barrica que se escolheram dois lotes vinhos pela acidez e estrutura tânica para um estágio mais prolongado em tonéis de madeira usada de 1500l.

Notas de Prova

Apesar do tempo de estágio, o Robustus 2004 apresenta uma cor rubi com muito pouca evolução, aroma distinto de grande intensidade e complexidade, onde as notas de café e caixa de charutos se confundem com fruta preta e vermelha e com as notas intensas de especiarias (pimenta preta, cravinho). Encontramos ainda notas balsâmicas e resinosas com elegância e aromas a terra. Na boca, tem grande amplitude com fruta presente e mineralidade; o vinho impõe-se na prova mais pela sua frescura que pelo peso da sua estrutura que mostra taninos em quantidade, mas muito bem integrados. Tudo conjugado num final muito longo e muito persistente, é sem dúvida um vinho para acompanhar nas próximas décadas.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S-A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Nacional, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

350-550

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox

Engarrafado

Julho

Estágio

18 meses em barricas (228l) e 27 meses em tonéis de 1500l

Extracto Seco (g/dm3)

34

Álcool (%)

14

pH

3.52

Acidez Volátil (g/dm3)

0.82

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

31

Produção

2.000 garrafas e 50 magnums

Sugestão de acompanhamento

Pratos de caça (perdiz, veado), arroz de pato. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos ou trufas.

O nome Robustus presta tributo ao primeiro vinho de Dirk Niepoort feito em 1990 com o mesmo nome e que nunca foi comercializado. A inspiração para o Robustus baseou-se em grandes vinhos velhos tradicionais, nos quais o estágio prolongado em madeira velha é utilizado para suavizar os taninos presentes. A ideia foi fazer um vinho encorpado, que representasse bem o Douro e as suas vinhas, de grande estrutura, com taninos presentes e acidez que lhe conferisse vigor e vivacidade e muitos anos de vida em garrafa. O seu envelhecimento em tonéis durante 4 anos permite desenvolver um vinho poderoso, com base na complexidade aromática, nos taninos potentes, mas bem integrados pelo tempo de estágio, e na sua grande acidez e capacidade de guarda.

Vinificação

2005 foi um ano excelente, em que os vinhos obtidos foram, em geral, muito frescos e elegantes, com muito boa estrutura tânica, e sem excessos nos níveis de álcool. Em 2005, a vinificação decorreu, tendo o Robustus em vista, com a utilização de 30% de engaço e com períodos de maceração mais longos. O vinho foi envelhecido, desde o início, em cubas de madeira de 1000 litros e o seu engarrafamento decorreu em Maio de 2009, sem colagem ou filtração.

Notas de Prova

Apesar do tempo que leva a envelhecer, o Robustus 2005 apresenta uma cor rubi viva, com pouco desenvolvimento. Com um aroma distinto de grande intensidade e complexidade, onde as notas de café e caixa de charutos aparecem em conjunto com as de frutos pretos e com notas intensas de especiarias e carácter balsâmico. O palato possui grande amplitude, com a presença de notas minerais terrosas. O vinho impõe-se na prova, mais pela sua frescura e juventude do que pelo peso da sua estrutura, que apresenta taninos muito suaves em abundância. De final longo e persistente, com grande potencial de envelhecimento.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S-A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Nacional, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

350-550

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Cascos

Fermentação

Cubas cónicas de inox

Engarrafado

Julho 2009

Estágio

18 meses em barricas de carvalho francês (228l) e 27 meses em cascos de carvalho de 1500l

Extracto Seco (g/dm3)

28.7

Açúcar Residual (g/dm3)

1.9

Álcool (%)

13.66

pH

3.58

Acidez Total (g/dm3)

5.42

Acidez Volátil (g/dm3)

0.88

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

25

Produção

2.000 garrafas e 50 magnums

Sugestão de acompanhamento

Pratos de caça (perdiz, veado), arroz de pato. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos ou trufas.

O nome Robustus presta tributo ao primeiro vinho de Dirk Niepoort feito em 1990 com o mesmo nome e que nunca foi comercializado. A inspiração para o Robustus baseou-se em grandes vinhos velhos tradicionais, nos quais o estágio prolongado em madeira velha é utilizado para suavizar os taninos presentes. A ideia foi fazer um vinho encorpado, que representasse bem o Douro e as suas vinhas, de grande estrutura, com taninos presentes e acidez que lhe conferisse vigor e vivacidade e muitos anos de vida em garrafa. O seu envelhecimento em tonéis durante 4 anos permite desenvolver um vinho poderoso, com base na complexidade aromática, nos taninos potentes, mas bem integrados pelo tempo de estágio, e na sua grande acidez e capacidade de guarda.

Vinificação

O ano de 2007 foi de grande qualidade, deu vinhos muito equilibrados com estrutura presente, boa acidez sem teores alcoólicos excessivos.

A vinificação foi feita em cuba a pensar no Robustus, com 50% de engaço e 45 dias de maceração total. O vinho estagiou em tonel de 2000 litros de madeira usada.

Notas de Prova

4 anos de estágio não tiraram ao Robustus 2007 a sua frescura e vivacidade, pelo contrário, acrescentaram elegância e complexidade ao seu intenso aroma onde notas de café e caixa de charuto se combinam com aromas de fruta preta e vermelha. Dos solos xistosos vêm os aromas balsâmicos e de especiarias.

Na boca, o vinho mostra uma grande amplitude com a fruta muito presente e um forte carácter mineral, estrutura suportada por taninos muito bem integrados. Muito vivo, o Robustus impõe-se na prova mais pela sua frescura do que pela sua concentração; o final é longo, sedutor e persistente.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S-A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Nacional, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

350-550

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Cubas inox

Engarrafado

Março de 2011

Estágio

42 meses em tonéis de 2000l

Extracto Seco (g/dm3)

26.8

Álcool (%)

13.8

pH

3.56

Acidez Total (g/dm3)

5.24

Acidez Volátil (g/dm3)

0.71

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

30

Produção

4.000 garrafas e 50 magnums

Sugestão de acompanhamento

Pratos de caça (perdiz, veado), arroz de pato. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos ou trufas.

O nome Robustus presta tributo ao primeiro vinho de Dirk Niepoort feito em 1990 com o mesmo nome e que nunca foi comercializado. A inspiração para o Robustus baseou-se em grandes vinhos velhos tradicionais, nos quais o estágio prolongado em madeira velha é utilizado para suavizar os taninos presentes. A ideia foi fazer um vinho encorpado, que representasse bem o Douro e as suas vinhas, de grande estrutura, com taninos presentes e acidez que lhe conferisse vigor e vivacidade e muitos anos de vida em garrafa. O seu envelhecimento em tonéis durante 4 anos permite desenvolver um vinho poderoso, com base na complexidade aromática, nos taninos potentes, mas bem integrados pelo tempo de estágio, e na sua grande acidez e capacidade de guarda.

Vinificação

2008 foi um ano excelente para a produção de vinhos do Douro. As chuvas ocorridas durante a Primavera e início do Verão permitiram manter os níveis de humidade do solo até à vindima. Houve condições atmosféricas perfeitas durante o final do período de maturação e durante toda a vindima, com tempo seco e noites frescas. Também as baixas produções, por causa das chuvas ocorridas no período de floração, foram importantes para obter uvas de qualidade superior, com grande acidez e teores de açúcar equilibrados.

A vinificação do Robustus foi feita em cubas tronco-cónicas com 70% de engaço, e uma maceração total de 50 dias. O estágio foi feito, desde o início, em tonéis de madeira usada de 2000l. O engarrafamento foi feito em Abril de 2012, sem qualquer colagem ou filtração.

Notas de Prova

O Robustus 2008 mostra uma grande frescura. 4 anos de estágio não lhe tiraram a sua juventude: pelo contrário, acrescentaram elegância e complexidade ao seu intenso aroma onde notas de café e caixa de charuto se combinam com aromas de fruta preta e vermelha. Dos solos xistosos vêm os aromas balsâmicos e de especiarias. Na boca o vinho mostra uma grande amplitude, com a fruta muito presente e um forte carácter mineral, estrutura suportada por taninos muito bem integrados. Muito vivo, o Robustus impõe-se na prova mais pela sua frescura do que pela sua concentração, o final é longo, sedutor e persistente.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S-A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Vinhas velhas

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Sousão, Rufete, Tinta Pinheira e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

400-550

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Fermentação

Tonel

Engarrafado

Abril 2012

Estágio

42 meses em tonéis de 2000l

Extracto Seco (g/dm3)

27.9

Açúcar Residual (g/dm3)

2

Álcool (%)

13.48

pH

3.59

Acidez Total (g/dm3)

5.2

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

32

Produção

5.800 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos de caça (perdiz, veado), arroz de pato. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos ou trufas.

O nome Robustus presta homenagem ao primeiro vinho de Dirk Niepoort, o Robustus 1990, que nunca chegou a ser comercializado. Desde 2004 que o Robustus tem sido vinificado de acordo com os métodos usados na produção de vinhos tradicionais. O longo estágio em tonel de madeira velha imprime maturidade, complexidade, amacia os taninos e confere ao vinho uma precisão e um equilíbrio únicos, sem perder todo o vigor e a frescura aromática. Actualmente, o Robustus provém das nossas vinhas mais velhas, viradas a norte, onde a acidez e a estrutura tânica são elevadas. O Robustus é um hino ao património do Douro, pois numa região extremamente quente, a diversidade de terroirs e a sabedoria intrínseca da vinha velha oferecem-nos vinhos frescos e de longa guarda.

Vinificação

O Ano de 2009 antecipava-se fresco, durante o Inverno choveu bastante e tudo indicava que o ano ia ser húmido, com um período de maturação prolongado e uma vindima facilitada. Mas as altas temperaturas que se fizeram sentir a partir do dia 12 de Agosto aceleraram o processo de maturação, antecipando assim o início das vindimas.

As uvas para o Robustus 2009 foram seleccionadas manualmente à entrada da adega, caindo por gravidade numa cuba de Inox. A fermentação alcoólica e o tempo de maceração foram longos, num total de 41 dias. O envelhecimento em tonéis de 2000 litros durou 4 anos, o que possibilitará uma grande capacidade de envelhecimento em garrafa. Deste vinho foram engarrafadas 8000 garrafas no final de Dezembro 2013, sem colagem nem filtração.

Notas de Prova

O Robustus 2009 impressiona pela frescura. Com uma cor carregada, o aroma marcadamente mineral e muito profundo, demonstra que o longo estágio em tonel lhe deu muita maturidade mas, acima de tudo, precisão. Na boca mostra uma incrível complexidade, realçando os aromas empireumáticos que só aparecem nos vinhos que envelhecem durante bastante tempo em madeira. Os taninos são sedutores, com muita garra, mas perfeitamente equilibrados, com grande estrutura, que só as vinhas velhas conseguem transmitir. Para se beber num momento calmo, com o tempo o vinho vai crescendo, libertando aromas e mostrando uma complexidade ímpar. A decantação é quase obrigatória.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort (Vinhos) S-A.

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Nacional, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

Guyot

Altura do Mar

350-550

Período de Vindima

Setembro

Forma de Vindima

Manual

Maloláctica

Barricas

Engarrafado

Dezembro de 2013

Estágio

49 meses em tonéis de 2000l

Extracto Seco (g/dm3)

27.6

Álcool (%)

13.5

pH

3.6

Acidez Total (g/dm3)

4.9

Acidez Volátil (g/dm3)

0.7

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

15

Produção

8.333 garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos de caça (perdiz, veado), arroz de pato. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos ou trufas.

O nome Robustus presta homenagem ao primeiro vinho do Douro, produzido por Dirk Niepoort, o Robustus 1990, e que nunca chegou a ser comercializado. Desde 2004 que o Robustus tem sido vinificado de acordo com os métodos usados na produção dos vinhos tradicionais. O longo estágio em tonel de madeira antiga, imprime maturidade, complexidade, amacia os taninos e confere ao vinho precisão e equilíbrio, sem perder todo o vigor e a frescura aromática. O Robustus provém das nossas vinhas mais velhas, viradas a norte, onde a acidez e a estrutura tânica são elevadas. Numa região extremamente quente, com a diversidade de terroirs e a sabedoria da vinha velha conseguem-se produzir vinhos frescos e de longa guarda.

Vinificação

A vindima de 2013 começou no dia 19 de Agosto, mais cedo do que o habitual, de forma a manter os níveis altos de acidez e evitar graus alcoólicos elevados. O ano foi mais produtivo, cerca de 25%, relativamente ao ano anterior. A decisão de começar a vindimar mais cedo, acabou por se revelar acertada, uma vez que as principais vinhas foram vindimadas antes de começar a chover intensamente a 27 de Setembro. As uvas foram seleccionadas manualmente à entrada da adega, caindo por gravidade numa cuba de Inox. A fermentação alcoólica e o tempo de maceração foram longos, num total de 40 dias. O envelhecimento em tonéis de 2000 litros durou praticamente 4 anos. Deste vinho foram engarrafadas 3.025 garrafas em Julho de 2017, sem colagem nem filtração.

Notas de Prova

O Robustus 2013 é um reflexo do Douro na sua plenitude, de aroma profundo, complexo, austero e com várias camadas por descobrir. As vinhas velhas e as castas misturadas contribuem para um perfil fino, mas pleno de identidade. Mostra no copo uma frescura impressionante, mineralidade vincada e muita precisão. De equilíbrio notável, embora muito encorpado e com bom volume de boca, os taninos finos e o longo estágio em tonel conferem ao Robustus muita delicadeza e elegância, num final de boca longo, expressivo e com garra. Sendo desde já um grande vinho, está longe do seu melhor. Irá envelhecer durante décadas em garrafa. Decantação obrigatória.

Informação Técnica

Produtor

Niepoort Vinhos

Região

Douro

Tipo de Solo

Xisto

Vinhas

Quinta do Carril e outras

Idade das Cepas

60 e mais de 100 anos

Castas

Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Nacional, Tinto Cão e outras

Densidade por HA

6000

Condução das Vinhas

guyot

Altura do Mar

350-550

Período de Vindima

setembro

Forma de Vindima

manual

Maloláctica

sim, em tonel

Fermentação

em tonel

Engarrafado

Julho 2017

Estágio

46 meses em toneis de madeira usada de 2000l

Álcool (%)

12.9

pH

3.6

Acidez Total (g/dm3)

5

Acidez Volátil (g/dm3)

0.8

SO2 Livre de Enchimento (mg/dm3)

44

Produção

3.025 Garrafas

Sugestão de acompanhamento

Pratos de caça (perdiz, veado), arroz de pato. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos ou trufas.